Pedra, Papel e Tesoura.

25 de agosto de 2015

Difícil dormir.

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags: , , , — Yure @ 21:31

How to Perform Self Hypnosis (with Pictures) – wikiHow.

Hoje, fui pra cama cerca de meia-noite, mas só consegui dormir mesmo uma da manhã. Acordei sem razão aparente às sete e não consegui voltar a dormir, me sentindo satisfeito. Porém, não tardei a sentir sono durante o dia, pensando que eu iria dormir cedo. Fui pra cama às oito e comecei a pegar no sono brincando de auto-hipnose. Até que eu estava me garantindo, mas aí senti frio e acordei do transe… e com as batidas no meu teto, minha mãe ao telefone e minha impiedosa alergia, não consegui voltar ao transe.

Agora estou acordado, sem um pingo de sono, apesar de ter dormido apenas seis horas hoje, quatro horas a menos que o usual. Mas quer saber? Amanhã eu não tenho mesmo que acordar cedo e, pelo contrário, terei aula à noite, logo terei que requisitar ao meu corpo que fique acordado durante a aula. Talvez dormir tarde e acordar tarde seja a melhor opção, apesar de eu não achar isso saudável. Minha mãe me ofereceu um sedativo pauleira, mas resolvi não usar: última vez que tomei metade de um comprimido desse sedativo, fiquei sonolento por quatro dias, apesar de dormir pelo menos dez horas em cada. Vale lembrar que estou abaixo do peso ideal, então esse tipo de remédio tem efeito maximizado em mim.

Quando eu era adolescente…

Filed under: Livros, Saúde e bem-estar — Tags: , , , — Yure @ 8:32

Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem valor algum; mas sim a fé que opera pelo amor.

Gálatas 5 – Bíblia Online – acf.

Quando eu era adolescente, eu resolvi ler a Bíblia cronologicamente, sem sucesso, claro. Isso foi antes do estudo sobre as patadas. Aí eu via aquele pessoal praticando todas aquelas coisas que se fazem na lei de Moisés e eu pensava: “será que eu tenho que fazer isso?” Até recentemente, isto é, até menos de cinquenta dias atrás, eu não entendia como o sacrifício de Jesus tinha encerrado a lei de Moisés, mas agora está claro. Ele deixou conosco o princípio geral, pelo qual podemos seguir aquilo que há de importante na lei e deixar para trás aquilo que era apenas ritualístico.

Então, eu explicaria isso ao meu antigo eu adolescente, afagaria seu cabelo e ele ficaria feliz por poder deixar seu prepúcio onde está. Ainda curto a presença dele. Que bom que não tenho preguiça de ler.

23 de agosto de 2015

Dezessete anos apagados numa noite.

Filed under: Organizações, Saúde e bem-estar — Tags: , , , — Yure @ 23:16

Out of all, this is certainly the most useful emotion. It’s the pain that disciplines. The pain is the sign that something is going wrong and the sadness is the punishment of those who didn’t recognize the bad course of things, as it’s one of the worst pains.The sadness comes and sensitizes us. Then, when we are fragile, the guilt, a rigorous feeling, comes and tells us: “Oh, how I wish if you had done this, it and that!”, making us see where our mistake is. In the end, we can’t improve ourselves if we don’t recognize the mistake. The guilt inflicts more pain, more sadness, punishing us when no one else can punish. “You missed! Suffer the excess before repairing what you owe!”Then, the blanket of self-pity covers us and tells softly: “Calm down, because you suffered enough, poor thing. You are just a little child who is learning how to behave from your father. Poor you! Life is cruel to you!” It makes you realize how small you are, destroying any trace of pride and putting your head back over your shoulders. Those who take pleasure in pride reject self-pity and, often, fall in the same mistake, as not feeling little makes them reject the advice of guilt, thus suffering more sadness.It’s my favorite emotion in general and my music oozes sadness. It opens my eyes to my mistakes and the mistakes of other people. When taken constructively, it enables moral growth.

Escala das emoções: tristeza. by Yure16 < Submission | Inkbunny, the Furry Art Community.

Parece que hoje oficialmente acabou uma amizade que tinha há dezessete anos. Um amigo meu veio jogar RPG aqui em casa e eu fiz alguma coisa que o deixou chateado. Mas eu não percebi, nem ele me contou. Quando ele estava saíndo, ele disse ao meu irmão: “Yure morreu pra mim”. Ele vocalizou seus sentimentos para o meu irmão, pelas minhas costas, mas não os manifestou a mim, que sou aquele com quem ele tem um problema.

E, por uma semana, ele recusou convites para jogar, mesmo quando feitos pelo meu irmão, e se recusa a dizer o que foi que eu fiz para deixá-lo com raiva. Antigamente, eu faria isso, mas eu já não tenho catorze anos pra fazer esse tipo de coisa.

A filosofia, contudo, me desumanizou e sou incapaz de ficar triste com isso. A razão é simples: se ele não quer agir como adulto e discutir isso comigo, não merece meu tempo nem minha amizade. Apesar disso, porque eu sei que ele é um cara legal e esse agir infantil ainda lhe trará problemas, resolvi confrontá-lo indo à casa dele. Mas ele e sua família estavam de saída quando eu me aproximava. Eles não me viram, então eu perdi a chance. Além do mais, se ele não quer falar sobre o que quer que eu tenha feito, talvez seja algo muito pessoal e que só possa ser discutido comigo. Sinto-me no dever de lhe alertar sobre seu proceder, mesmo que ele não queira me dar outra chance e permitir o reparo de uma longa amizade que existe desde nossa infância.

Inobstante, não acho que eu sofreria com a perda de um amigo, logo eu que não sofri com a possibilidade de morte enfrentada pelo meu irmão. Afinal, eu tenho amigos melhores, com quem me preocupo mais, na Internet e isso diz muita coisa. Na verdade, se ele permite que uma amizade de longa data seja destruída completamente em uma noite, talvez ele nem fosse mesmo meu amigo. Talvez eu tente falar com ele de novo, porque não me parece certo deixar alguém cometer uma falta como essa sem dizer nada, porque isso poderia causa mais problemas pra ele e eu teria parte da culpa, por não ter apontado que ele precisa melhorar nisso.

Sei que estou soando altamente arrogante e insensível aqui, mas sabe o que eu faria se eu não gostasse nem um pouco dele? Deixaria ele continuar cometendo esse erro com outros, até que alguém resolvesse tirar satisfação dele no braço!

9 de agosto de 2015

Lendo a Bíblia.

Filed under: Livros, Saúde e bem-estar — Tags: , , , — Yure @ 14:41

7 Agora, ao contrário, vocês devem perdoar-lhe e consolá-lo, para que ele não seja dominado por excessiva tristeza.

via 2 Coríntios – Capítulo 2 – Biblia online Nova Versão Internacional.

Como vocês já devem ter percebido, tenho lido a Bíblia esses dias. É que a Bíblia é um compêndio que eu sempre me comprometo a ler completamente e acabo nunca conseguindo, porque o Antigo Testamento é muito monótono para mim. Não me agradam tanto as histórias dos povos judaicos quanto as orientações morais contidas nos Evangelhos ou nas epístolas. Por causa disso, eu sempre acabava desistindo antes mesmo de chegar aos Provérbios, que seria uma coisa que talvez eu gostasse de ler.

Então dividi a Bíblia em dez partes, lendo um capítulo de cada por dia. Assim, terminarei a Bíblia em um terço de um ano, quatro meses mais ou menos. Até agora, tenho gostado de estudar a Bíblia e formar a minha concepção de religião. Eu tenho razões para acreditar em Deus, mas tenho ainda mais razões para rejeitar todas as igrejas da atualidade. Então estudar a Bíblia por conta própria acaba sendo o único meio de seguir o caminho que escolhi (eu “demiti” aquele casal de testemunhas de Jeová que vinham me dar estudo bíblico porque eles sempre ministram o mesmo livro, que eu já terminei antes). Além do mais, a religião cristã é a religião do amor, que é o sentimento mais construtivo que existe, porque nos leva a procurar nossa felicidade na felicidade do outro. Isso muito me interessa, porque sempre fui um cara muito bonzinho. Então, se eu puder ser salvo sem ter de mudar muito meu comportamento, a religião cristã parece um bom lugar para onde ir. O que me preocupa são as igrejas, que, segundo minha leitura da Bíblia até agora (este é trigésimo-quarto dia de estudo), não são completamente coerentes com as escrituras, principalmente no que diz respeito ao próprio amor.

Outra razão para ler a Bíblia é o meu estudo filosófico que estou fazendo desde o ano passado, quando comecei a ler a Metafísica. É um estudo autoimposto de história da filosofia, orientado por obras filosóficas e, até o momento, aprendi mais sozinho do que em seis anos na universidade. Depois de ler os pré-socráticos, os socráticos e os helenísticos, estou lendo obras do período medieval, profundamente marcado pela religião católica. Então, ter algum conhecimento das escrituras pode me ajudar a melhor entender as obras patrísticas e escolásticas. No momento, estou encarando as seiscentas páginas da Suma Contra os Gentios, de São Tomás de Aquino, depois de ter lido o curto Proslogion e as longas Confissões. E acho que meu aproveitamento dessas obras seria maior se eu tivesse lido a Bíblia antes.

Não faz mal lê-la. Todos os livros têm alguma sabedoria, mesmo os livros ruins que nos dizem como não escrever. A Bíblia não é um livro ruim, então eu, na verdade, recomendo sua leitura. Mesmo para os ateus, que querem conhecer mais sobre as religiões do livro, porque eles poderiam pescar alguma coisa que lhes poderia ser útil, apesar de não terem credo (fora que, diga-se de passagem, você não pode argumentar religião com um cristão, por exemplo, sem usar a Bíblia).

Older Posts »

O tema WordPress Classic. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: