Analecto

31 de janeiro de 2012

Declaro guerra.

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 18:42

Indulgindo. | SoFurry.

É raro eu admitir que alguns dos meus comportamentos precisam ser mudados. Mas a minha vida tem ficado mais estressada, me impedindo de aproveitar horas de relaxamento e descontração. Estou declarando guerra à minha empatia excessiva. Observe que se pôr no lugar do próximo não é algo ruim, mas esta é uma ação prejudicial quando você começa a sofrer mais do que aquele para o qual você mostra empatia, principalmente se o problema dessa pessoa já foi resolvido e você continua se torturando com o passado.

Eu estou rebatendo esses pensamentos sempre que eles vêm. Na verdade, este excesso de empatia me afeta ao ponto de não conseguir me concentrar no que eu desenho, escrevo, componho ou jogo. Nunca tive minha bunda chutada tantas vezes numa partida de Strike Gunner S.T.G. Então, sempre que eu tendo para o ridículo de remoer o passado alheio, eu penso no quão felizes meus amigos são agora e que não há razão para eu me preocupar com problemas que eles não mais têm. Me preocupar com problemas atuais faz mais sentido. Tenho que encarar os fatos, olhar para o espelho e pôr minhas emoções no lugar, ao invés de deixar elas me invadirem, me forçando a usar paliativos lógicos.

Também tem que haver um limite para minha empatia quando voltada aos problemas atuais dos meus amigos. Eu não posso sofrer mais do que eles. Sempre que eu começar uma conversa, perguntarei “como vai você”. Se meu amigos disser que ele está mal, perguntarei o porquê e, se eu puder, o aconselharei, coisa que eu faço muito bem e muitos amigos meus melhoraram seus estados emocionais após uma conversa comigo. Eu gosto de ajudar os outros, sendo eu um gato púrpura. Mas não devo deixar que os problemas deles me atinjam. Claro que é normal que amigos se preocupem uns com os outros, mas é completamente sem-noção que minhas atividades diárias sejam prejudicadas por um problema que não é meu.

É difícil, mas não penoso. Nada que eu não possa superar com prática. Obviamente, não quero me tornar uma pessoa apática, de coração fechado. Só não quero que minha empatia cresça às raias da doença.

Anúncios

30 de janeiro de 2012

Tédio.

Guerra Silenciosa. by Yure16 — Fur Affinity [dot] net.

Descobri que postar aqui todos os dias talvez não seja boa ideia; isso só vai entupir o blog de lixo. Acho que a ideia de fazê-lo um diário não foi boa, ou seja, postar todos os dias é penoso e trás pouquíssimos bons resultados.

Mas estou com certa dúvida. Eu sinto falta das minhas aulas e agora que é dia trinta. Eu quero ir pra faculdade! Droga! Por que estas férias têm que ser tão longas? Ficarei sem aula até o dia vinte e sete!

E eu, na espera, fico curtindo o Chris Hülsbeck. A primeira música publicada dele foi Shades, a qual eu ouvi e pude apontar características típicas de seu estilo, usadas até hoje.

Fora isso, continuo sofrendo com excesso de empatia. Recentemente, venho me torturando com problemas que não são meus. Isso é esperado de um filhote sensível como eu, mas há um mês e meio que eu me sinto sufocado por problemas passados. É o cúmulo do ridículo, me preocupar com os problemas os meus amigos já superaram e é difícil parar de pensar nisso quando eu começo, porque preciso constantemente enfiar na minha cabeça “anestésicos lógicos”, pensamentos positivos que me fazem pensar mais no lado bom (eles estão felizes agora). Às vezes me pego pausando o que quer que eu esteja fazendo no momento para injetar o tal anestésico, de forma que eu volte a me concentrar. Eu não sou Jesus, eu não deveria pôr os problemas dos outros nas minhas costas; não é meu papel curá-los. Como todo bom amigo, tenho que prestar socorro se meus coleguinhas precisarem de ajuda, mas eu tenho que lutar contra minhas emoções para que eu não acabe sofrendo mais do que eles.

20 de janeiro de 2012

Sabe o Megaupload…

RETAILIATION FBI TAKING DOWN COGENT!!! — Picaduck’s Journal — Fur Affinity [dot] net.

Está fora do ar. O FBI tomou uma ação contra o serviço de hospedagem Megaupload, provavelmente por causa dos protestos de ontem. Oito indivíduos foram presos (em quatro países diferentes), dezoito domínios fecharam, US$130000000 em equipamento foram apreendidos e no meio disso tudo está a Cogent.

Mais cedo do que pensei, Fur Affinity  está em perigo, por estar conectado à Cogent. Obviamente, Fur Affinity não é único site que vai sofrer; cerca de 3600 redes estão conectadas à Cogent.

Isso explica por que o Fur Affinity e o Sofurry ficaram fora do ar ao mesmo tempo hoje mais cedo, embora o Inkbunny não.

18 de janeiro de 2012

Protesto na América do Norte.

WordPress › SOPA Blackout Plugin « WordPress Plugins.

Como já devem saber, vários servidores estadunidenses estão em greve. Essa é forma de protestar contra PIPA, já que Obama mandou a SOPA para Tóquio. PIPA (nunca gostei desse brinquedo) é a lei irmã da SOPA que pretende fazer a mesma coisa. Como medida extrema, a Wikipédia, o Google, o Youtube e vários outros sites tiveram seus servidores norte-americanos bloqueados. Observe que isso não afeta os servidores nacionais de tais serviços, embora eu ache que seria bom que os servidores brasileiros também entrassem em greve; aprovar PIPA vai afetar a parte brasileira da Internet.

Fur Affinity também é alvejado pela lei, assim como qualquer outro site que permita envio de arte feita por fãs. Como forma de sensibilizar os usuários, o banner do Fur Affinity foi “censurado”. Eu me divirto vendo isso e imaginando a cara dos palermas na Casa Branca. Eles não devem saber a diferença entre MP3, DNS e proxy, mas eu tenho certeza de que eles sabem pra que serve o Google… e já devem estar sentindo falta dele…

10 de janeiro de 2012

Hoje inclui minhas disciplinas.

Filed under: Organizações — Tags:, , , — Yure @ 15:20

Depois de longa espera, finalmente escolhi as disciplinas que cursarei durante o quinto semestre. O tempo passou tão depressa, eh… Até parece que passaram só dois ou três semestres, mas se passaram quatro. Faculdade é fácil.

Pois bem, aqui estão as disciplinas que inclui no minha grade:

  1. História da Filosofia Nível 4.
  2. Tópicos de Filosofia Nível 1.
  3. Filosofia Social e Política Nível 1.
  4. Didática Geral.
  5. Estrutura e Funcionamento do Ensino Fundamental e Médio (tentando o destino).

Uma coisa interessante é que Estrutura e Funcionamento do Ensino Fundamental e Médio sumiu do meu histórico, como se eu nunca tivesse me inscrito nela no semestre passado. Parece que eu estava certo: a disciplina foi cancelada no último semestre porque nossa única professora foi para Tóquio.

9 de janeiro de 2012

Sabem o que é fofo?

Filed under: Entretenimento — Tags:, , , — Yure @ 14:30

By Orangetabby106. by Yure16 — Fur Affinity [dot] net.

Sarah é uma menina de treze anos que mostra um notável talento para arte. Ela me fez este desenho e fiquei surpreso quando vi que minha fursona, quando feita pelo estilo dela, fica ainda mais fofa.

Meu estilo tem uma alta taxa de incompatibilidade e, até hoje, acho que o únicos capazes de desenhar minha fursona de uma forma suficientemente fofa sou eu… e Sarah.

Eu fiquei tão satisfeito com o resultado que resolvi torná-la conhecida. Na verdade, acho que esse foi o pedido mais bem feito que já recebi.

6 de janeiro de 2012

Eu tenho uma teoria.

Sabe por que existe tanto drama no furry fandom? Porque é uma comunidade artística.

Observe como artistas são indivíduos sensíveis; é necessário ter certa sensibilidade para produzir arte já que a melhor arte advém do ato de expressar emoções. Muitos artistas são geniosos, sensíveis demais, perfeccionistas e, por isso, facilmente frustrados. Mas essas características, perfeccionismo e, obviamente, necessidade de atenção, pois não existe arte sem público, alimenta uma silenciosa competição entre eles, mesmo entre os amigos, na qual alguém tem que sair vencedor. Fato é que alguns infelizes artistas que levam sua arte a sério normalmente “quebram” depois de consecutivas “derrotas”, baixando sua guarda frente a problemas da vida real. Ou o contrário, problemas da vida real refletem sobre sua arte.

Aí você junta uma multidão dessa gente no mesmo lugar. Claro, nem todos os artistas são assim, mas muitos furries são jovens, sabe, com pouca experiência de vida e com muito o que aprender ainda. Alguns ensinamentos vêm com a maturidade (foi provavelmente a coisa mais hipócrita que eu disse nesta semana). Porém, os artistas que não são assim são minoria, porque características como sensibilidade e emotividade são partilhadas por muitos indivíduos que se sentem atraídos pelas belas artes, principalmente porque as belas artes apelam ao lado estético do indivíduo que é mais forte ou fraco dependendo de sua sensibilidade. A arte nunca afeta indivíduos que são completamente insensíveis, obviamente, pessoas que não olham um desenho e dizem pelo menos “nossa, interessante”. Pessoas com baixo grau de sensibilidade, que não sentem a emoção passada por uma imagem, uma história, um poema ou uma música, não têm razão para fazer arte. Assim, comunidades artísticas tendem a ter um número maior de indivíduos emotivos comparadas a outros tipos de comunidade, porque, se essas pessoas não fossem sensíveis, talvez não estariam tão interessadas em arte em primeiro lugar, logo não fariam parte da comunidade (que então ficaria bem menor ou até deixaria de existir).

O que acham?

3 de janeiro de 2012

Auto-aceitação.

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 09:19

Ao passo que eu consegui resolver o problema do meu colega, outro cara apareceu sofrendo de um problema similar.

Há um ano, ele tenta resistir à sua parafilia, bondage, por medo de que seus amigos pensem que ele é uma aberração. Ele só se rende à sua parafilia quando realmente não consegue tirá-la da mente, certifica-se de que pode controlar o tempo da exposição e depois tenta esquecê-la fazendo outra coisa. Segundo ele, sua parafilia é aceita em seu aspecto individual, mas ele tenta manter isso no menor nível possível por medo de que isso possa afetar os outros. Porém, periodicamente, ele sente vontade de desenhar coisas relacionadas à bondage, mas, por razões já explicadas, ele resiste à vontade, embora ela sempre volte. Mais de uma vez, ele perguntou para nós se nós deixaríamos de ser amigos dele por causa de sua parafilia. Droga, isso é o furry fandom, bondage é provavelmente a mais comum das especialidades. Isso não assusta ninguém, talvez nem novatos. Mesmo que digamos que tudo bem, ele ainda teme perder nossa amizade e sofrer rejeição. Depois de pensar bastante a respeito, ele começou a se perguntar se ele deveria realmente resistir à sua parafilia e ponderou a possibilidade de ceder a vontade, mas não para seus amigos. Ele pensou nos caminhos que isso abriria (novos amigos com interesses similares aos dele, porém diferentes dos interesses de seus amigos atuais) e resolveu sair um pouco de sua zona de conforto, abrir uma nova conta e começar a enviar arte relacionada ao que ele realmente gosta. Isso trará comentários diferentes, mais autoestima e uma nova direção para melhorar sua arte. Afinal, se ele teme rejeição por parte de seus amigos, é só manter contas diferentes, de forma que só aqueles que realmente gostem de bondage o assistam em sua outra conta, permitindo que seus vigias atuais vejam apenas o seu trabalho corriqueiro (babyfur). Ele deixou claro no seu jornal que “algum dia” ele dará uma pausa no babyfur para explorar seu outro “fetiche”, contra o qual ele tem resistido há um ano (no sentido de resistir a vontade de exteriorizá-lo, já que ele aceita sua parafilia no âmbito individual, mesmo que com tempo controlado). Me soa como uma tentativa de fuga da pressão causada pelos amigos, uma tentativa de mentir para eles por razões imaginárias. Mas isso não ocorrerá num futuro tão próximo, já que ele ainda não se sente seguro o bastante para “sair da zona de conforto” e explorar esse lado dele.

Isso me faz suspirar de preocupação. Por que as pessoas precisam da aceitação dos outros para ser elas mesmas quando não há necessidade disso? Não é como se ele estivesse praticando algum crime ou coisa do tipo. Se não faz mal a você, não faz mal aos outros e seus amigos lhe asseguram que não tem problema, por que ficar com tanto medo de ser rejeitado? Será que só eu percebi que ser normal é impossível?

2 de janeiro de 2012

Queria saber…

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 17:08

Por que as pessoas fazem juramentos tão pesados, muitas vezes desnecessários? Um amigo meu está fazendo isso e eu estou tentando convencê-lo de que ele não precisa passar por sofrimento à toa. Digo, não é como se ele estivesse tentando parar de fumar ou coisa assim. Mas por que acabar com um fetiche?

Às vezes a sexualidade não vai na direção certa. Mas se ela vai para o lado “errado”, não tem razão para tentar ajeitá-la se não estiver prejudicando você mesmo ou o próximo. Às vezes as pessoas desenvolvem hábitos que não “corretos” ao ver delas e, por mais que tentem livrar-se deles, sempre caem e ficam frustrados, sentindo-se culpados. Mas pense bem, por acaso esse hábito lhe prejudica ou prejudica alguém? Será que tentar livrar-se dele trará algum benefício?

No caso do fetiche, a maioria das pessoas não consegue se livrar do seu, porque é para onde sua sexualidade vai. Tirar o objeto do fetiche de um fetichista é o equivalente a tirar mulheres de um indivíduo que é heterossexual. Tentar evitar esse objeto é o equivalente a tentativa de uma mulher heterossexual evitar homens. Pode ser difícil ou fácil dependendo da pessoa, mas fato é que quase sempre caímos, especialmente se você estiver numa idade como a minha ou a do meu amigo. Julgando pelo que ele me contou, ele tem seu fetiche sob controle. Por que completamente aniquilá-lo?

Talvez isso soe como um bocado de besteira sem sentido, mas o fato é: eu queria saber por que as pessoas tentam aniquilar hábitos que, além de trazerem gratificação ao praticante, são inofensivos (ao passo que livrar-se deles seria extremamente penoso)?

Eu meio que me sinto como o Eek (lembra?), querendo ajudar os outros e normalmente levando chutes em troca. A diferença é que sou azul e os chutes sou eu mesmo quem dou.

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: