Analecto

10 de março de 2012

Detesto quando isso acontece…

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yurinho @ 21:33

comic 32 | SoFurry.

Hoje me meti numa discussão com minha mãe sobre religião, de novo. Se fosse com qualquer outra pessoa, tudo bem, mas eu amo a minha mãe e sei que tudo o que ela quer é que eu viva eternamente com ela, fico me sentindo mal por ter que argumentar com ela quando ela tenta “me converter”.

Eu nem lembro mais o que foi exatamente. Sei que eu acabei perguntando como vou saber se o jeovismo é a religião certa. Escrever isto enquanto escuto Rhendor IV é mesmo deprimente. Isso a deixou magoada. Por mais razões que ela desse, eu sempre dizia algo de volta, afinal eu não posso me calar só porque ela é minha mãe. Se eu não concordo com a religião organizada, eu tenho que dizer, senão serei hipócrita.

Ela acabou desistindo, visivelmente sentida, apesar de eu ter tentado ser suave. Eu não tinha intenção de magoá-la, eu só não posso ir contra minhas convicções. Isso não só é moralmente errado, mas também é pecado.

5 de março de 2012

É meio esquisito.

Filed under: Passatempos, Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yurinho @ 14:37

Changeset 1191 | Source/SVN | Assembla.

Certo coelho está um pouco para baixo por causa de suas responsabilidades tomando conta de sua vida. O segredo é não tomar para si mais responsabilidades do que você pode aguentar. Mas é típico da juventude fazer certas coisas sem pensar.

Eu escolhi um curso dolorosamente difícil por razões ideais, mas minha cabeça está completamente feita agora. Não vou voltar atrás, já que eu tenho um ideal. Creio que mesmo depois de empregado, eu não vá tomar responsabilidades além do meu limite; eu tenho tudo planejado, meus passos contados, e vários planos de reserva.

Mas pois bem. Se eu tomar muitas responsabilidades, me afastarei de mim mesmo, meu humor vai fechar (ainda mais), ficarei estressado, deprimido e minha autoestima me abandonará. Aconteceu antes. Eu havia metido as patas inferiores pelas superiores e me inscrito em seis disciplinas em turnos diferentes. Eu acordava cedo, dormia tarde, não tinha tempo para mim, fiquei me sentindo um completo inútil. Aliás, falhei em três disciplinas naquele semestre.

Mas eu aprendi a lição e conheci um pouco mais a mim mesmo, sei o que eu posso ou não aguentar e sei que não cometerei o mesmo erro.

Tento manter uma rotina sólida: oito horas de sono, oito horas estudando, oito horas brincando. Consigo terminar uma quantidade considerável de trabalho e ainda compensar o esforço. Se eu conseguir minha licença para ensinar, pretendo dar aula de manhã e à tarde, se possível, ou de tarde e à noite, mas jamais de manhã e de noite. Você deve ter prioridades.

No meu caso, considerando que a falta de sono tornou meu rendimento miserável, meu sono vem em primeiro lugar, pelo menos oito horas, ou eu não poderei estudar direito ou aproveitar o tempo livre. Por que não meus estudos? Simples: melhor eu diminuir a prioridade dos meus estudos e ainda assim me dar bem neles do que eu priorizar meus estudos sobre meu sono e falhar em metade das disciplinas de novo. Em terceiro lugar vem meu tempo livre. Se eu tiver que estudar mais que oito horas por dia, o que eu acho que nunca vai acontecer, deduzirei o tempo extra do meu tempo livre. Mas jamais do meu sono. Porém, como eu disse, eu tento não tomar para mim muitas responsabilidades, então o tempo deduzido não será muito. É uma questão de planejamento e saber qual rotina é melhor para sua situação.

O coelho também se queixa do fato de que nós levamos vidas muito regradas e monótonas. Tenho dezenove anos, sabia? Eu de fato falo como um velho neste blog, mas é de propósito, para fazer piada da minha seriedade. Eu entendo que muitos anseiam por uma vida corrida, lotada de ação e explosões, como um certo colega com o qual eu estudei. Ele disse que odiaria uma vida perfeita e que sua felicidade vem dos seus problemas. Nem meus colegas masoquistas são assim. Boa sorte para ele, eu fico por aqui, fazendo a mesma coisa todos os dias, sem sofrer por causa disso. Não estou dizendo que o coelho não tem razão, ele não está sendo “dramático” (fazendo alarde sem razão). Mas a verdade pode ser inconveniente às vezes. A vida da maioria dos indivíduos que conheço e que ele conhece é regrada e rotineira. Mas sem um motivo para ser assim, a vida do indivíduo fica oca. Por que você estuda? Por que você trabalha? Já parou para checar suas motivações? Estudar e trabalhar só para você nunca trás felicidade.

Se afogar em responsabilidades não justifica você. O que lhe justifica é o motivo por trás disso. Descobrindo o motivo, aceitar a rotina torna-se fácil, afinal ela tem propósito.

« Newer Posts

%d blogueiros gostam disto: