Analecto

6 de janeiro de 2013

Blog controverso, mas, válido ou não…

C O N T R A F E M I N I S M O. Ódio aos homens: quando ”homens” sentem vergonha de serem do próprio gênero..

Li todinho. Li outras partes do diário também e fiquei meio pensativo sobre a índole do “masculinismo”. Quero dizer, de fato, o fanatismo genérico feminista deve ser combatido, como qualquer outro fanatismo.

Mas atente para este que compartilhei no sítio acima. Esse texto me fez perceber uma coisa. Se eu me esconder e ganir até a frota terminar de passar por cima de mim, não estarei sendo melhor que o colunista mencionado no texto. Talvez a situação que imagino seja real, mas me conformar com ela não é uma opção. Talvez eu não possa mudar toda a realidade que talvez exista, mas posso mudar as casas adjacentes a medida que me movo no tabuleiro.

Sem metáforas, se eu continuar acanhado e com medo das mulheres, nada estou fazendo para mudar a minha situação. Elas se colocaram a par de nós no passado percebendo que são tão humanas quanto nós. Agora que, pelo menos na realidade ao meu redor, elas estão abusando do que conseguiram e passando por cima de mim, talvez eu possa me pôr a par delas, porque somos todos animais no final.

Iakhot uma vez me disse:

Se você continuar vendo a si próprio como fraco, as pessoas lhe verão como tal e lhe tratarão como tal.

Se eu quiser que elas parem de zombar de mim, não posso parecer um alvo. A medida que a situação melhorar, poderei me considerar verdadeiramente a par delas.

4 Comentários »

  1. […] dois meninos e duas meninas. As duas meninas eram protestantes, eu sou eu mesmo, e o outro menino era católico. Questões […]

    Curtir

    Pingback por Tinham quatro filósofos à mesa: um católico, dois protestantes e eu… | Pedra, Papel e Tesoura. — 7 de dezembro de 2015 @ 17:21

  2. […] alvo de algum tipo de manipulação velada da parte delas. Não é um sexismo, mas mais uma paranoia. Eu não evito mulheres por odiá-las, mas por […]

    Curtir

    Pingback por Eu sou mesmo um homem… | Pedra, Papel e Tesoura. — 21 de junho de 2015 @ 13:20

  3. […] eu acentua minha sensação de inferioridade perante o sexo oposto. É, tenho medo de mulheres, mas disso vocês já sabem. Além do mais, lógica proposicional não me soa nem um pouco… satisfatória. Sinto que […]

    Curtir

    Pingback por Abril, terceira parte. | Pedra, Papel e Tesoura. — 1 de maio de 2014 @ 08:44

  4. […] tinha uma faixa do grupo feminista local perto do auditório. Fiquei pasmo com aquilo, por uma variedade de razões. Tanto que deixei minha mochila cair imediatamente. Mas, de toda forma… A aula de […]

    Curtir

    Pingback por As pessoas ficaram perturbadas. | Pedra, Papel e Tesoura. — 29 de agosto de 2013 @ 21:03


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: