Analecto

29 de julho de 2013

Fora que odeio gente.

Filed under: Organizações, Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 18:32

Minha mãe resolveu que não me fará passar pelo sufoco que é a endoscopia. Graças a Deus; eu estava morrendo de medo. Por causa deste medo e ansiedade, talvez eu tenha que passar por outro tratamento psiquiátrico, de acordo com meu médico. Detesto essas coisas… mas talvez seja a melhor coisa a ser feita. Eu não queria antes porque a depressão me mostrava a verdadeira face da vida, mas, se é pra tratar de um medo que só me dá problema, talvez tomar uma pílula ou duas por dia não faça mal.

Desde que me recuperei da minha doença, voltei a prender a urina para propósitos recreativos. Perdi a prática enquanto estava de cama e, no presente, só consigo segurar por até catorze horas ingerindo um litro e meio de água. Muito para uma pessoa normal.

Falando em normal, hoje visitei um balneário que não visito desde a infância. Trago vagas e distantes memórias daquele lugar, além das vívidas memórias de hoje. É um lugar alto, maravilhoso, com bastante vegetação e cinco piscinas naturais. A água que vem da serra enche a primeira, que derrama água para a segunda e assim por diante, que nem Plotino. Só o que não gostei foi a comida; o novo biscate do meu pai achou dois besouros no arroz, a carne estava mal passada, os talheres estavam sujos, o molho estava estragado e a salada não parecia segura.

Hoje minha mãe quis me levar para uma lanchonete, mas resolvi não ir; meu tio e primos também iam e não me sinto à vontade com meu tios. São como estranhos pra mim. Fora que odeio gente que faz piada, ri o tempo todo, supõem que você tem tanto senso de humor quanto suas pessoas e lhe importunam com piadinhas potencialmente ofensivas.

Anúncios

26 de julho de 2013

Todo o mundo tem celular.

Desisti do lance do Facebook. Os termos de serviço não me permitem usar um apelido ou nome falso, logo não posso entrar; por razões concernentes à privacidade, não uso meu nome verdadeiro em redes sociais. Além do mais, a confirmação da conta é feita por celular agora. É incrível, esses caras já estão começando a supor que todo o mundo tem celular.

Bom, eu não tenho porque nenhuma operadora presta. Além de que celular é como bicho de estimação: tem que carregar a bateria periodicamente, botar crédito regularmente, não, é responsabilidade demais. Sem falar que minha mãe fica em cima para eu cuidar bem dele. O último celular que eu tive quebrou, depois que eu joguei ele contra a parede.

Meu sobrinho teve um ataque de vômito ontem no hospital durante a internação. Ele deve voltar para casa amanhã, contudo, se houver melhora do nível de suas plaquetas. Com esse calor, é capaz do sangue do menino evaporar. Pelo menos os vizinhos que queimam deram trégua.

Hoje me consultei para checar uma dor que tenho no meu abdômen há anos. Espero que não seja nada de grave, mas um mero problema de postura. Quero dizer, passo o dia inteiro sentado mesmo… Tomara que seja só isso.

O médico pediu exames de fezes, urina, sangue e um ultrassom. Além de uma endoscopia… Agora temos um problema. Eu não posso fazer endoscopia; me dará náusea! Não tem a menor condição, mas nem em coma (tudo bem, talvez em coma). Que bom que endoscopia custa R$180,00, logo eu provavelmente não farei. O ultrassom, contudo, será divertido fazer; terei de encher a bexiga para que tudo funcione.

20 de julho de 2013

Facebook.

Estou usando o Google Plus ativamente agora, mas de um jeito mais próximo do estilo de uso do Twitter. A razão pra isso é partilhar novidades com gente comum, não furry. Também pensei em criar um Facebook de novo, mas não por razões de diversão ou coisa assim. Fiquei sabendo, pelo meu irmão (que ficou sabendo pelo Facebook), que meu pai sofreu um acidente nas minas de magnésio e até perdeu a consciência. Como vocês já sabem, também foi pelo Facebook que a notícia do suicídio do cachorro se espalhou. Em outras palavras, não ter Facebook está se mostrando uma barreira bem grossa entre mim e coisas que me dizem respeito, visto que não é todo o mundo que tem blog e não é todo o mundo que usa o jornal do Fur Affinity pra partilhar notícias de que alguém que você gosta ou é próximo de você está na pior.
Com todos usando o Facebook para propósitos sociais como um meio basilar de comunicação, incluindo meus amigos e minha família, não me juntar à eles significa me afastar deles e ficar alheio à coisas que poderiam me interessar.

Hoje recebi notícias do meu sobrinho. Ele parece bem, embora o nível de plaquetas dele esteja baixo. Meu pai recuperou-se do que quer que o tenha feito desmaiar e até me visitou hoje.

Ontem pensei em brincar com algumas coisas na Central de Programas e arrumei o Password Generator, uma ferramenta simples que gera senhas aleatoriamente para gente que gosta de senhas difíceis de quebrar. Mas desinstalei assim que vi coisas melhor: Keepassx. Ele não apenas gera essas senhas como também as guarda num banco de dados acessível por senha-mestra. Estou o usando agora para guardar sete senhas, tão difíceis que nem eu mesmo sou capaz de lembrá-las. Que bom que elas estão ao meu alcance. Recomendo, pra quem tem memória curta e sente que só consegue fazer senhas podres.

18 de julho de 2013

Suicídio.

Eu espero que eu não me mate. Eu não quero fazer ninguém passar pelo que estou passando agora, especialmente se for de propósito. Mais um colega meu morreu, na segunda-feira. Suicídio.
Eu lembro de quando eu era mais novo e namorava a ideia também. Eu queria me matar, me sentia um verdadeiro peso morto na face do planeta… mas que bom que eu nunca tive coragem. Eu sou covarde demais pra morrer e prefiro as coisas assim.
Eu não sei se ele está bem ou mal agora. Se ele tiver tomado a decisão certa… se é que essa é a decisão certa em algum momento… ele certamente está melhor. Mas todos os que gostavam dele estão na pior agora, eu incluso, o namorado dele e os amigos dele.
A notícia foi divulgada no Facebook e um link para o obituário em que constava o nome dele foi publicado. Não conheço os detalhes e talvez seja melhor eu não saber.
O pior é que sinto que foi culpa minha. O suicídio é a morte na qual estão envolvidos vários assassinos. Uma variedade de coisas pode levar alguém a se matar: a altivez dos seus companheiros, trabalho demais, amor de menos, medos, preocupações… Muitos dizem que a pessoa tem que ser forte para resistir a essas coisas, mas não lembram que nem todos podem ser assim, tão fortes. Tudo tem limite e tem gente que realmente não aguenta mais. Eu entendo. Mas tem que ser muito homem pra tirar a própria vida, tem que ser muito macho pra se matar sabendo que tem gente que te ama e que te quer vivo, os amigos normalmente são a última barreira entre alguém e o outro lado. Então é minha culpa também por eu não estar disponível no momento pra poder ajudar. Sou tão culpado quanto seus outros amigos, sua família e seus conhecidos. Sou culpado por não ter sido humano o suficiente para me importar com o bem-estar alheio e culpado por ser egoísta e achar normal ele deixar de me mandar mensagens.
Eu queria chorar, mas não consigo. É uma sensação perturbadora.

17 de julho de 2013

Não há qualquer motivo racional que justifique o que ela fez.

Meu sobrinho está doente e minha doença ameaça voltar. Cara, que saco. As aulas vão começar e parece que não vou mesmo ter sossego. Pelo menos enquanto elas não começam, posso aproveitar o tempo de bobeira. Este será o oitavo semestre. Estou perto de terminar o curso, finalmente. Só preciso de uns créditos extracurriculares. Será complicado entrar nessas coisas, mas espero que pelo menos um ou dois minicursos sejam grátis. Aí posso afanar o troco e comprar fraldas.

Minha mãe tem estado muito encima no que diz respeito ao meu sono e não admite que foi um erro nos mudarmos pra cá. Não somente temos vizinhos que queimam mato o tempo todo como também esses vizinhos são viciados em drogas e têm armas. Ela sabe que se mudar pra cá foi uma péssima ideia, mas não pretende engolir o orgulho e admitir tão cedo. Tenho dormido mal, mas porque tenho me sentido aventureiro. Tentei fazer meu computador rodar arquivos de ipad, mudei a estrutura do meu diretório de músicas, consegui fazer Audio Overload funcionar e ainda testei o Crossover. Estou de férias, não preciso dormir cedo porque não preciso acordar cedo. A única pessoa que quer que eu acorde cedo é ela, mesmo sem haver razão para isso. Eu normalmente acabo dormindo de novo.

Ela pagou um alergista pra tentar nos curar dos males causados pela fumaça. Ele provavelmente nos dirá pra nos mudarmos, como eu disse. Afinal, não é resposta certa nos adaptarmos ao estilo de vida dos vizinhos só porque eles são marginais. O fato é que nunca deveríamos ter movido pra cá. Nunca. Minha mãe nunca deixou claros seus motivos, prova de que são motivos estúpidos. Ela deveria ter ficado na outra casa onde não tínhamos nenhum dos 1001 problemas que temos atualmente. Falta água, tem fumaça, não é seguro, não tem hospitais ou delegacias por perto e meu sobrinho pegou dengue. Ela só pode ter uma razão passional pra ter mudado (“quis me mudar mesmo” não cola), porque não há qualquer motivo racional que justifique o que ela fez.

15 de julho de 2013

Como fazer Audio Overload funcionar no Ubuntu.

Dormi mal pra caramba. Passei a noite e parte da madrugada tentando fazer um arquivo .ipa funcionar aqui. Sim, é possível fazer um arquivo .ipa funcionar tanto em Windows quanto em Linux. Enquanto eu procurava uma resposta, vi um cara na Internet dizer que é impossível rodar aplicativos do ipad ou iphone no PC, mas não, é possível, muito possível.
Para Windows é fácil: adquira Itunes pra Windows, abra o menu arquivo e clique adicionar arquivo à biblioteca ou algo assim. Em Linux tem dois jeitos: Iemu (emulador de IOS disponível apenas como código fonte) e virtualização de uma máquina Windows. “E o Wine?”, alguém pode perguntar. Tentei rodar Itunes pra Windows sob duas interfaces do Wine, a normal e o Crossover. Ambas não resolvem e achei impressionante o Crossover não ser capaz de resolver, já que todo o mundo fala tão bem do Crossover isso, Crossover aquilo.
“E o que tinha na .ipa?”, alguém pode se perguntar. Achei que tivesse Pee Holding Dog, mas um usuário de IOS me disse que não tinha, então desisti.

Mas hoje tive forças para vencer a preguiça e buscar uma solução para um problema velho: como fazer o Audio Overload funcionar em Ubuntu. E consegui. Neste instante estou curtindo um arquivo .sndh. Pra quem não lembra, o Audio Overload foi meu companheiro para todas as horas nos tempos de Windows, permitindo que ouvisse música de jogo em altíssima fidelidade. Suporta mais de trinta formatos de música emulada, só é uma pena que não suporte .sid. Aí eu poderia deixar o Audacious de lado. Mas como fazer funcionar em Ubuntu? Se você tentar executar o binário ao para iniciar o Audio Overload, você notará que não há qualquer saída de som. Executando o binário através da linha de comando lhe diz por que: o programa não consegue encontrar o diretório /dev/dsp. Isso porque o Audio Overload foi feito tendo o driver OSS em mente. Distribuições Linux recentes usam outros drivers e, por isso, o diretório /dev/dsp está quase completamente extinto das máquinas que rodam sistemas Linux. A saída para os que querem usar o programa em Ubuntu é muito simples.

  1. Baixe o programa para a pasta Downloads na Pasta Pessoal.
  2. Extraia o conteúdo na pasta ~/Downloads.
  3. Ctrl+Alt+T, imediatamente.
  4. cd Downloads/AudioOverloadLinux

  5. padsp ./ao

  6. Resolvido. O Audio Overload estará completamente funcional. O que falta agora? Música. Recomendo Turrican 2. Abra-a com o Audio Overload e pronto.

Os passos 3, 4 e 5 precisam ser repetidos sempre que você quiser iniciar o programa, mas o processo sempre pode ser automatizado com um simples script. Abra o Editor de Texto e digite o seguinte:

[Desktop Entry]
Name=Audio Overload
Comment=Tocador de música de jogos eletrônicos.
Exec=padsp ~/Downloads/AudioOverloadLinux/ao
Icon=terminal
Terminal=true
Type=Application
Categories=Mídia

Salve o arquivo como “Audio Overload.desktop” e salve-o em ~/.local/share/applications. Não tá vendo na hora de salvar? Clique com o botão direito dentro da janela de salvar e selecione “Mostrar arquivos ocultos” ou algo assim. A pasta então deve estar visível. Se tudo der certo, poderá iniciar o Audio Overload através do Painel Inicial.

Estas são as disciplinas que cursarei neste semestre.

TÓPICOS DE FILOSOFIA I, ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA, FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO I, PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM.

UECE – Aluno On-Line.

Me recuperei de minha doença e agora posso voltar a digitar com mais frequência. Que bom que o sistema de matrícula do Aluno Online abre pontualmente à meia-noite do dia da matrícula e acredito que fui o primeiro a dar entrada. Estas são as disciplinas que cursarei neste semestre:

  1. Tópicos de filosofia nível 1: porque é engraçado, instigante e não tem nada a ver às vezes, no sentido de que é menos acadêmico e mais prático.
  2. Antropologia filosófica: porque todo o mundo fala do professor, de como o professor é bom, minha nossa, mas o nome me dá tédio.
  3. Filosofia da educação nível 1: porque é justo e necessário que o futuro professor de filosofia curse esta disciplina.
  4. Psicologia da aprendizagem: porque é a mesma professora de psicologia evolutiva e, cá entre nós, sempre tive uma certa queda pelo assunto, embora eu negue na vida pública.

Tenho desenhado mais do que posso e graças aos lápis mágicos que minha mãe comprou tenho colorido muito melhor. Fora que voltei a usar tinta de caneta aliada à sombra com lápis. Desenhar continua sendo uma ótima descontração!

Ainda estou cursando informática, caso esteja se perguntando, e pretendo documentar as aulas aqui como faço com o curso de filosofia. Depois do recesso, claro. Usei Windows 8 pela primeira vez e… bom, desligar é um sacrifício. Que bom que conheço alt+f4 e pude desligar sem performar aquele parto. É legal, não tão ruim quanto pensei que fosse, Metro não é tão diferente do Dash do Ubuntu, embora não esteja claro que você pode digitar para pesquisar. Mediante o próprio uso de atalhos que experientes conhecem, os danos que o Metro causam são atenuados e adaptar-se à interface deixa de ser um problema. Ainda prefiro Linux, contudo.

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: