Pedra, Papel e Tesoura.

2 de maio de 2014

Sobre o LMMS.

A versão 1.0 finalmente foi lançada, mas estou com um gosto muito amargo na minha boca. E não foi aquela lasanha desgraçada nem os biscoitos do Além que acabei de comer. O LMMS teve seu nome mudado, agora as siglas não significam nada. E, para comemorar isso, a versão mais recente do programa que foi um dia chamado “Linux Multimedia Studio” não está disponível para nenhum GNU/Linux estável. Eu só o vi disponível para Debian Sid, mas temo pela integridade do meu sistema se eu instalá-la, considerando a fama do Sid (aprendi que as versões do Debian são nomeadas segundo personagens de Toy Story e Sid era o moleque que quebrava todos os brinquedos). Fui ao arquivo de pacotes pessoais do DNS para ver se a versão 1.0 havia sido compilada para Ubuntu, mas parece que não. Nem para Ubuntu, o sistema no qual o programa nasceu.
Mas sabe o que é mais revoltante? A tão sonhada versão 1.0 está disponível para Windows! Como? Eu já venho notando, há algum tempo, que a equipe de desenvolvedores vem priorizando a versão do Windows, sem pagar o devido respeito à base de usuários do GNU/Linux. Na verdade, o programa parece funcionar melhor sob Windows, o que é um avesso. No Debian, a única versão disponível em Jessie é 0.4.10, quando em Ubuntu as coisas pararam em 0.4.14, segundo o que diz no arquivo do senhor DNS. Só temos uma versão 1.0 em Sid porque algum cara bonzinho se deu ao trabalho de compilar o código fonte no sistema dele e submeter os resultados, mas nem sempre um pacote em Sid desce ao Jessie na velocidade esperada.

Anúncios

1 Comentário »

  1. […] Consegui instalar o LMMS 1.0, mas pouca coisa mudou e a interface está uma droga. Então voltei para a versão anterior. Achei que não poderia instalá-lo neste sistema sem destrui-lo. Aliás, o que destrói o sistema nem é tanto o programa, mas suas dependências; achei que ele dependesse de software muito novo e eu poderia quebrar meu sistema ao instalar essas versões novas se meu sistema não for maduro o suficiente para recebê-las (especialmente quando se fala de libc). O método de instalação é bem simples: desinstale o LMMS atual, desinstale o pacote lmms-common, baixe o pacote lmms-common disponível no repositório do Debian Sid, instale-o e depois baixe e instale o LMMS disponível em Debian Sid. Se você estiver usando Linux Mint Debian, você provavelmente preenche as dependências. Ah, sim, a versão 1.0 está disponível no repositório do Ubuntu. Acho que me precipitei ao dizer que não estava. […]

    Curtir

    Pingback por Maio, primeira parte. | Pedra, Papel e Tesoura. — 10 de maio de 2014 @ 12:24


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: