Analecto

17 de maio de 2014

Explicação da ideia da obra Ciência Nova, de Gianbattista Vico.

Introdução.

A obra Ciência Nova, de Gianbattista Vico, traz consigo uma imagem bastante críptica que é explicada no decorrer do texto. Na imagem vê-se vários objetos ao chão, uma estátua, uma mulher sobre a qual incide e reflecte um raio de luz vindo de Deus. A mulher (que é a metafísica) está sobre um globo, que parece estar mal apoiado. Essa imagem carrega consigo a ideia principal da obra, a qual tentarei explicar em minhas palavras, com base na interpretação provida pelo próprio texto.

Explicação.

No livro, Vico propõe uma ciência nova, que é a sua concepção de metafísica. A metafísica, tradicionalmente, é aquele saber filosófico menos experimental, mais abstrato, que tenta compreender o mundo usando a razão mais que os sentidos. Seria uma tentativa de se aproximar do conhecimento menos material. Porém, a metafísica é concebida como uma atividade racional, filosófica, que não pode ser praticada por todos. Aristóteles mesmo apresentou a metafísica como um saber das sociedades desenvolvidas, porque a metafísica, tendo como objetivo nos afastar da ignorância, não teria utilidade prática imediata. Só se poderia praticá-la se as necessidades básicas de uma pessoa, como abrigo e alimento, estivessem satisfeitas.

Mas Vico propõe, em sua nova concepção de metafísica, que todo povo tem sua metafísica, no sentido de aproximação do imaterial. Os povos se relacionam com o imaterial através da religião (sua metafísica então sendo a aproximação entre indivíduo e Providência), dos mitos, do vaticínio, da poesia antiga. A metafísica proposta por Vico seria um resgate filológico desses artefatos históricos e culturais, contextualizados numa história ideal. O que esta ciência quer é lançar luz sobre esses aspectos obscuros de nossa história, lançar luz sobre a metafísica oculta nesses tempos, enquanto relação entre pessoa e Providência.

A metafísica tradicional contrasta com a de Vico em vários aspectos. Notavelmente, a metafísica de Vico tem uma base mais concreta e filológica, abdicando de elaborar conceitos como “essência” ou “princípio”, “unidade” ou “multiplicidade”, limitando-se a extrair das nações gentis os conceitos metafísicos ocultos daquela época. Assim, ela muito mais tem a ver com filologia.

Esses conceitos estão descritos naquilo que Vico chama de “sabedoria poética”. É a sabedoria incutida na população gentil pelos poetas teólogos, que teciam sua metafísica pré-filosófica através de seu trabalho, como fazia Homero. Essa metafísica guiava os outros indivíduos e os aproximava da providência, mas também era carregada de valor pedagógico. Por isso podia ser chamada de sabedoria, visto que a poesia guiava também o indivíduo em sua interação com o mundo físico.

A metafísica nova de Vico então não é algo abstrato, mas um resgate filológico de como essas nações gentis se relacionavam com o que era extraordinário.

Anúncios

2 Comentários »

  1. Hoje vai entrar no Skype, irei comentar seu sítio pessoal de forma esporádica, quando houver tempo.

    Curtir

    Comentário por Doce de Caju — 22 de maio de 2014 @ 14:42

    • Eu entro, mas o problema é que estou dormindo bem mais cedo recentemente e estudando muito. O horário em que entro não é o mesmo que o seu. Além do mais, abandonarei o Skype definitivamente em junho.

      Curtir

      Comentário por Yure Kitten — 22 de maio de 2014 @ 16:02


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: