Analecto

29 de março de 2016

Por que eu gosto dos gordinhos.

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 16:07

Fur Affinity, the internet’s largest online furry art community.

Fonte: Tubby Kitty by JouigiRabbit

Já falei antes que gosto muito de pessoas gordinhas. Mas nunca me dei a refletir exatamente a razão. Hoje, enquanto eu usava a Internet, acabei vendo uma imagem que muito me atraiu: um desenho, representando um gato obeso, mas antropomórfico. Admito que fiquei sem fôlego ao ver a imagem, mas, sendo um desenho, era a representação de algo abstrato na mente do autor. Era um ideal digitalizado. Isso me deu uma ideia. Talvez eu possa me analisar enquanto eu admiro o desenho, de forma que eu possa dizer exatamente o que me atrai em pessoas gordas.

Não podemos nos apressar e dizer que é a gordura. Isso parece fácil demais, mas equivale a dizer que uma bandeja cheia de banha recém-extraída é sexy. Não é isso que eu quero, não quero um argumento matador de discussão. Quero algo que eu possa usar.

Uma pessoa gorda de fato tem mais gordura que a pessoa magra, que não é tão atraente, mas a gordura precisa estar colocada dentro das proporções. Grande barriga, grandes coxas, traseiro e face cheia. A gordura precisa estar onde deveria estar. Também é muito apressado dizer que gosto de gente gorda porque a barriga é grande, afinal eu não sou uma pessoa que sente-se atraída por mulheres grávidas.

Então, é uma questão anatômica. Não é simplesmente a gordura em si, mas sua posição no corpo. Também, não é uma questão puramente de forma ou de silhueta, porque não é apenas o visual que atrai.

Outros como eu apontam que a fofura também atrai. Fofura não como um tipo específico de beleza que nos leva à atitudes protetoras como o abraço, mas a fofura no sentido de maciez adiposa. Quando você abraça uma pessoa gorda, a sensação é mais gostosa, como quando se abraça um travesseiro, do que quando se abraça alguém magro. Particularmente, esse tipo de fofura me faz querer até mesmo morder a pessoa, mas muitos não chegariam a tanto. O fato é que a aparência e a sensação do abraço e do contato muito me atraem em quem é gordo.

Voltando ao desenho, uma pessoa gorda tem a face redonda, cheia. A forma esférica sempre admirou o ser humano, é uma forma calma, gentil. A face rechonchuda parece mais gentil do que o rosto fino, que pode ser sexy ou provocante, mas não exatamente convidativo nem amigável. A face redonda, “cheia”, tem um tipo de charme similar ao dos bebês, se você prestar atenção. O estereótipo de gordo “feio” é injusto, uma vez que a maioria dos gordos é bastante atraente por si. A obesidade pode até ser considerada feia, já que é um traço mórbido, uma doença, mas eu, embora reconheça que não é saudável, não consigo achar feio um obeso. Inobstante, se é doença, deve ser tratado, o que não significa emagrecer ao ponto de ter uma doença de outra natureza. Sem mencionar que há meios de engordar de maneira saudável, você tira pela Profecia de Daniel (capítulo um, versos do doze ao quinze, embora possa-se argumentar que fora bênção divina, apesar de hoje sabermos que é possível engordar sendo vegetariano). Para ilustrar como um gordo pode também ser belo, basta lembrar que ninguém queria ser magro neste país cinquenta anos atrás: mulheres magras eram vistas como feias, doentes e casadas com maus maridos. A mulher considerada saudável era a gordinha. A obsessão pelo “corpo perfeito” é recente e totalmente cultural, não inata à pessoa gorda.

O desenho também mostra os grossos braços do animal, análogos aos braços humanos. Tão bom quanto abraçar alguém gordo é ser abraçado por um gordo. Os grandes braços parecem proteger melhor, são mais confortáveis, você sente de um modo diferente a maciez supramencionada.

O peito e principalmente a barriga são macios e convidativos, inspiram preguiça em quem os vê. Minha vontade quando vejo barrigas assim é deitar o indivíduo e deitar-me sobre ele, como se ele fosse um grande travesseiro. A barriga é a parte mais macia, a sensação de tocá-la e esfregá-la é ótima. Abraços também têm sua carga sexual e abraçar uma barriga como essas nos dá a sensação de ter mais do que parecemos ter, dá uma sensação de proximidade e permite abraços mais apertados, que são melhores do que abraços leves e fracos, que precisam ser dispensados aos que têm constituição frágil. Literalmente, há muito o que amar.

O traseiro e as pernas são partes que muitas vezes nos despertam alguma excitação, mesmo que leve e sublimada. É comum ouvir homens vulgares dizerem que grande traseiro e um belo par de pernas são determinantes no julgamento de uma mulher como sexy. Esses são dois tratos que uma pessoa gorda pode ter sem esforço, enquanto que a pessoa magra pode obtê-los com exercício físico resistido (musculação).

Porém, pessoas gordas só me despertam afeto até certo ponto, porque a proporção também é algo que me atrai. Pessoas muito gordas não me atraem tanto quanto as moderadamente gordas (isto é, muita gordura não é exatamente feio, mas também não me causa um afeto excepcional), além de que existem outros fatores corporais que me atraem ou repelem.

Eu escrevi isto para esclarecer meus gostos à certas pessoas que acham muito estranho eu não partilhar de seus ideais de beleza feminina ou masculina, de não me interessar em ser um desses homens fortes ou achar interessantes as mulheres magras por suas aparências.

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: