Analecto

5 de outubro de 2016

Anotações sobre o Candido ou o otimismo.

Filed under: Livros, Passatempos — Tags:, , , — Yure @ 16:37
  1. Uma crença da época é a de que as coisas, sendo feitas para um fim, sempre visam o melhor fim possível pra elas. Essa é uma encarnação do otimismo metafísico.
  2. A própria vida depõe contra essa ideia. Se tudo vai bem, porque muitas coisas terminam mal?
  3. O metafísico muito aplicado acaba ficando ignorante das coisas deste mundo. É um risco já apontado por Platão: o filósofo que persegue as ideias, isto é, os conceitos, as coisas como “realmente são”, as essências, se torna um grande pateta na vida pública. Se a metafísica não guardar relação com o concreto, torna-se alienante.
  4. Se o mundo é o melhor possível, porque ocorrem guerras?
  5. O filósofo treme quando participa da guerra.
  6. Se este é o melhor dos mundos possíveis, por que adoeceis?
  7. A crença de que este é o melhor mundo possível e que tudo se ordena para o melhor e que todo o mal é aparente nos leva a duvidar de que o Diabo exista. Voltaire era cristão, não nos esqueçamos.
  8. Acreditar que as desgraças particulares contribuem para o bem geral não faz sentido, se o raciocínio for levado às últimas consequências. Porque, se “contribuir” quer dizer adicionar bem, então o mundo é melhor quanto mais desgraças ocorrem.
  9. Em certo ponto da história, o ser humano se corrompeu. Deus não deu armas para os humanos destruírem uns aos outros, mas nós as fizemos porque sentimos necessidade, a qual não teria surgido sem ódio e interesse.
  10. Se tudo vai tão bem, por que os bons morrem e os maus prosperam?
  11. A crença no melhor mundo possível também leva à rejeição do conceito de pecado original, da queda de Adão e Eva e de outros artigos de fé. Mas sobretudo, ela leva à crença no destino e de que não existe liberdade, ou que a liberdade é irrelevante de todo. Nem Lutero afirmou tal, ele que acreditava que o livre-arbítrio não influi na salvação (a fé seria o único determinante, pra ele).
  12. Se este é o melhor dos mundos possíveis então todas as mortes são necessárias. Mas como? Muitos matam por motivo fútil.
  13. Todo o mundo é religioso em meio a uma tragédia.
  14. A madrugada de sábado para domingo é dia de descanso ou dia de missa?
  15. A crença no melhor dos mundos possíveis só se sustenta numa mente muito ingênua. A pessoa sensata eventualmente percebe que não é assim.
  16. Se o otimismo metafísico estivesse pelo menos parcialmente certo e houvesse mesmo um mundo melhor possível, provavelmente não é este. Observe que no raciocínio de Leibniz isso não é possível: Deus fez o mundo fazendo escolhas e fez as melhores escolhas porque é sumamente sábio. Então, por “mundo”, Leibniz entende toda a criação. Seu argumento é belíssimo, mas errado, finalmente, pois isso não se verifica.
  17. Tal como os cristãos, muçulmanos também têm dificuldade em observar o amor. Existe ódio em todos os lugares.
  18. O medo é a principal força que nos impede de cometer suicídio quando a vida deixa de dar lucro por ser vivida.
  19. Se este é o melhor dos mundos possíveis, por que muitos estão insatisfeitos com seus corpos, seus vícios ou condição social? Muitos não gostam de si mesmos ou da vida. Como isso pode no melhor mundo possível?
  20. Quando não se tem o que se procura em um lugar, pode-se procurá-lo em outro.
  21. No otimismo metafísico, todos os homens são iguais.
  22. Se este é o melhor dos mundos possíveis, porque muitas vezes nos vemos obrigados a cometer crimes?
  23. Um pensamento da época era de que era possível saldar o pecado do assassinato salvando a vida de alguém.
  24. Antigamente, algumas mulheres selvagens tinha macacos por maridos. Sim, literalmente.
  25. A natureza verdadeira não é como querem os otimistas metafísicos.
  26. Não é uma boa ideia argumentar com canibais sobre como matar outros humanos, mesmo que para saciar a fome, é pecado…
  27. Pessoas primitivas também têm suas leis e estatutos.
  28. Sempre há civilização perto de rios.
  29. Se você está desesperado e anda sem rumo, mesmo que não encontre algo agradável, encontrará algo novo.
  30. Sempre que possível, junte útil e agradável.
  31. A inocência de um povo é mantida pelo convívio interno apenas. Quando um povo se relaciona com outros, perde essa inocência original.
  32. O ouro e as jóias só têm valor aonde são raros.
  33. Se você já tem o necessário, por definição não há necessidade de pedir algo a Deus. Você só teria que agradecer.
  34. Num país onde todos conhecem bem a religião, não há necessidade da classe sacerdotal.
  35. Permanecer sempre no mesmo lugar consolida opiniões, mesmo que sejam opiniões erradas. É preciso viajar se o que se quer é renovar a opinião.
  36. Não há melhor cumprimento que o abraço e talvez um beijo na bochecha.
  37. Quando se está bem em algum lugar, não há necessidade de mudar.
  38. Se o mundo é o melhor possível, porque podemos deixá-lo melhor?
  39. O amor pode durar mais que a riqueza.
  40. Existe um passado negro implícito em muitos bens de consumo. Você sabe de onde vêm as coisas que você compra? Quem as faz? E como faz?
  41. Se somos todos irmãos, como é que nos tratamos tão mal?
  42. Otimismo é sustentar que tudo está bem, mesmo quando não está.
  43. Não há lugar na Terra onde tudo vá bem.
  44. Com tanto mal no mundo, é escusável pensar que o Diabo é seu governante. As testemunhas de Jeová pensam assim.
  45. A mágoa interior pode ser pior que a miséria pública.
  46. Do ponto de vista humano, um acontecimento pode ser diabólico ou divino dependendo de quem julga.
  47. O mundo pode ser tão cruel que há quem pense que ele só existe pra nos frustrar.
  48. Quando se é rico, todos querem ser teus amigos ou, pelo menos, te prestar serviço.
  49. Tratar doenças leves pode agravá-las.
  50. Martinho quis jogar o padre pela janela. Faz sentido no contexto.
  51. Martinho é o melhor personagem disto tudo.
  52. É possível rir de raiva.
  53. Existem pessoas que ganham a vida criticando outras. Como isso dá dinheiro, criticam defeitos que não existem. Por exemplo: os juízes do Ídolos ou aquele estrangeiro escroto daquele programa de competição culinária.
  54. Uma mão ruim é um registro da má sorte que se teve ao longo do jogo.
  55. Falar mal dos outros muitas vezes é uma tentativa de obter atenção e sentir-se importante.
  56. O otimismo metafísico era impopular. O pessoal não gostava muito de ler obras dessa escola.
  57. Se este o melhor dos mundos possíveis, como até as relações familiares e fraternais podem ser insuportáveis?
  58. Mulher muito amável pode muito bem ser pistoleira.
  59. O dinheiro submete.
  60. Matar alguém sem necessidade serve para assustar os outros e mantê-los na linha.
  61. Algumas nações são tão ruins que não vale a pena tocar seu solo com os pés.
  62. É natural se sentir otimista quando as coisas vão bem.
  63. Se este é o melhor dos mundos possíveis, por que existem mulheres que apanham por causa de homens que não amam?
  64. É arriscado ser marido de uma médica ciumenta. Por um lado, ela pode curar-te de tuas enfermidades, mas pode, por capricho, te matar com o tratamento.
  65. Prostitutas não têm vida fácil.
  66. Quando tudo parece bem com alguém, cogite a possibilidade de essa pessoa estar dissimulando sua tristeza.
  67. Existe infelicidade também nos templos religiosos, pois muitos perseguem a religião forçados pelos pais ou, de alguma outra forma, à contragosto.
  68. Insatisfação profissional é um fato. Acontece quando pessoas escolhem uma profissão tendo o lucro que ela pode dar como único critério.
  69. Dar dinheiro a alguém não necessariamente melhora a situação dela. Há casos em que dar mais dinheiro piora as coisas.
  70. Várias experiências ruins levam a pessoa a encarar a vida com todo o cinismo.
  71. Quando uma pessoa parece feliz pra nós, pode ser que o seja porque não entendemos o sofrimento dela. A luta do professor não é a do médico, a luta do médico não é a do policial.
  72. A mulher humilde é mais fácil de manter. As orgulhosas fazem péssimas companheiras.
  73. Viver muito bem causa tédio.
  74. A música complexa, se não for bela, não presta.
  75. Alguns livros só são obtidos para dar um ar de cultura à estante. Seus donos não os lêem.
  76. Os tolos admiram tudo num escritor famoso. É preciso ler ciente da possibilidade de que o escritor pode se enganar.
  77. Os céticos, que duvidam de tudo, admitem que sabem tanto quanto o vulgo. Então, o vulgo não precisa ouvi-los pra aprender filosofia. Os sábios, que estão certos de algumas coisas, também não os darão ouvidos. Não precisamos de ajuda pra sermos ignorantes.
  78. Ninguém com juízo lê teologia, diz Voltaire. Então eu não tenho juízo.
  79. É bom escrever o que se pensa. Em alguns lugares, como a universidade, se é forçado a escrever o que não se pensa.
  80. Não se importe tanto se os outros não pensam como você.
  81. Quando você tem padrões muito altos, se priva do prazer. Você passa a ser “bom demais” pra qualquer agrado.
  82. Os melhores estômagos não são os que rejeitam os alimentos. Quando você deixa de consumir o que a vida tem de bom, como se fosse mau, você não é saudável. É preciso consumir o bom e se afastar do mau, não rejeitar tudo por se sentir “acima” de tudo. Não é saudável viver só de prazer, mas não saudável viver sem nenhum prazer, mesmo que isso signifique baixar seu nível e tomar parte em algumas diversões dos pobres.
  83. Hoje banqueiro, amanhã desempregado.
  84. Se este é o melhor mundo possível, por que nem os governantes estão a salvo da desgraça?
  85. Nem os ricos estão a salvo da desgraça.
  86. Como este é o melhor dos mundos possíveis se problemas vêm em sequência?
  87. Não há como comparar o sofrimento de diferentes pessoas sem ser elas. Isso porque diferentes pessoas têm diferentes níveis de tolerância. Alguém pode sofrer muito com pouca causa e alguém pode permanecer otimista quando tem razões de sobra para se lamentar. Não se deve cobrar que todos sofram de igual maneira diante das mesmas causas.
  88. Sofrimento é subjetivo. Não pode ser medido.
  89. O sofrimento aproxima os homens. Mesmo que em uns seja maior e as causas sejam variadas, o sofrimento é de igual natureza em todos.
  90. Por que se chama o mau condutor de barbeiro? Porque, há muito tempo, quando era requisitada uma perícia que ninguém tinha, se chamava o barbeiro pra resolver de improviso. Fazer pontos num ferimento e não há médico? Chama o barbeiro. Operar um parto e não há obstetra? Chama o barbeiro. Dirigir um carro e ninguém tem carteira? Chama o barbeiro. Como o barbeiro também não tinha essas perícias, o trabalho ficava mal feito. Por isso se chama o mau condutor de barbeiro.
  91. Se este é o melhor dos mundos possíveis, por que crimes pequenos são ora punidos como grandes?
  92. Há filósofos que permanecem no engano somente para não se contradizerem.
  93. Se este é o melhor dos mundos, por que há gente tão ingrata?
  94. O pessimista acaba sendo mais lúcido e se frustra menos.
  95. É melhor o sofrimento físico ou a completa falta do que fazer?
  96. Martinho é Schopenhauer.
  97. Alguns filósofos sustentam algo de que discordam, porque aprenderam a fazê-lo assim.
  98. Se a pessoa morre por causa de envolvimento político, diz Voltaire, bem feito pra ela; morrer na política é um risco de que todos os parlamentares estão cientes.
  99. O trabalho atua contra o tédio, contra o vício e contra a necessidade.
  100. Obter seus bens pelo trabalho é mais construtivo do que obtê-los sem esforço.
  101. Ser rei é um negócio perigoso. Ser trabalhador acaba sendo mais tranquilo.
  102. Ao homem Adão foi dada a tarefa de trabalhar o jardim do Éden (Génesis 2:15). Ele nasceu pra trabalhar, isto é, transformar e manter a Terra pela sua ação. Marx chega à mesma conclusão por pressupostos não-bíblicos (adicionando que o trabalho é a parte da essência humana e que o ser humano que não trabalha não deve ser realmente humano).
  103. A vida é suportável quanto menos se pensa e quanto mais se trabalha. Se você parar de trabalhar para pensar, você se torna consciente de sua miséria e tentará mudá-la. Claro que mudar é necessário, mas a vida de quem percebe a miséria e opera a mudança é inquieta. É preciso coragem pra pensar. Coragem e tempo livre.
  104. Existem filosofias que não valem o seu trabalho diário.
Anúncios

2 Comentários »

  1. […] empregados trabalharam em determinado objeto comprado. Quanto será que cada um recebe? Quantos morreram na […]

    Curtir

    Pingback por Anotações sobre o Emílio. | Pedra, Papel e Tesoura. — 12 de dezembro de 2016 @ 21:07

  2. […] Quando você é convencido de que está errado, mude seu proceder. Permanecer no engano é manifestação de nefasto orgulho. […]

    Curtir

    Pingback por Anotações sobre os diálogos entre Hylas e Philonous. | Pedra, Papel e Tesoura. — 6 de outubro de 2016 @ 08:34


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: