Analecto

28 de fevereiro de 2018

Oh, por falar em pedofilia, sabia que o criador de Samurai X foi pêgo com pornô infantil ontem?

Filed under: Notícias e política — Tags:, — Yure @ 22:55

https://kotaku.com/rurouni-kenshin-creator-fined-for-child-pornography-pos-1823351711

Alguém tem que avisar Katrien que isso aconteceu; esse cara seria uma ótima adição ao Minor-Attracted Figures in History, especialmente porque ele confessa seus sentimentos pra polícia: “eu gostava de meninas do fundamental 2 até o segundo ano do ensino médio.” Fundamental dois, pra quem não sabe, é do sexto ao nono ano. Mas sabe? Depois de tudo o que eu estudei sobre esse assunto, depois de ter assistido quase todos os episódios de Samurai X, depois de saber que a idade de consentimento federal no Japão é 13 (embora possa ser maior dependendo do município), eu não acho errado ele não ter sido preso por isso. No Japão, a posse de pornografia infantil é punida com multa (ele vai pagar o equivalente a cerca de quatro mil reais), não com cadeia.

Como eu estudo relacionamentos entre adultos e menores de um ponto de vista mais científico e filosófico, eu passo a largo do problema da pornografia infantil. Não tenho nenhum interesse em estudar esse assunto profundamente, porque o considero de menor importância. Em todo caso, um cara que faz um mangá sobre paz, sobre amor, sobre história japonesa, sobre filosofia… quem leu ou assistiu Rurouni Kenshin sabe, ele não é mesmo uma pessoa ruim. Será que há razão pra ficar decepcionado com ele? O único jeito de saber é entendendo o que é e como funciona a pornografia infantil. Primeiramente, fico curioso com uma coisa: se a idade de consentimento em algumas prefeituras é treze e os vídeos que ele tinha mostram meninas de quinze anos, por que ele não foi pra um lugar onde a idade de consentimento é quinze e começou a ficar com uma adolescente legalmente? Oro!

Mas então. Para começar, é preciso entender que, para que algo seja considerado pornografia infantil, não há qualquer necessidade de sexo explícito. Atualmente, os maiores produtores de pornografia infantil são os próprios menores, que inclusive distribuem e consomem essa pornografia. “Onde?”, você pode se perguntar. Pela via das nudes. Fotos eróticas mostrando um menor de dezoito anos são pornografia infantil, mesmo que não haja sexo explícito, e mesmo que não haja adulto motivando o ato. A pessoa mais jovem a ser investigada por produção de pornografia infantil é um menino de cinco anos do Reino Unido. Mas como as autoridades pretendem lidar com o problema? Parando de perseguir esses menores por crimes que não os lesaram? Não, proibindo a venda de celular pra menores. Vê se faz algum sentido. Proteger alguém de algo inofensivo não é realmente proteção, mas controle. Há uma guerra acontecendo contra a sexualidade infantil. Ora, mas se os menores produzem e distribuem essa pornografia entre si, não fica claro que esses menores não estão sofrendo por causa disso? “E se a foto vazar?”, alguém pode perguntar. Beleza, deveríamos punir quem vazou a foto. É uma questão de bom senso. Pra quê essa proibição toda?

Isso me leva ao segundo problema: se a idade de consentimento no Japão é, no mínimo, treze, enquanto que no Brasil é catorze, porque a pornografia envolvendo menores entre catorze e dezessete anos ainda é uma ofensa criminal? “A ONU diz”, responderão alguns. Muito bem, mas a função da ONU é zelar pela paz mundial e evitar a terceira guerra mundial, que eu saiba. Como é que se intrometer na sexualidade dos outros povos serve a esses propósitos? Aliás, diga-se de passagem, a ONU faz um péssimo trabalho em zelar pela paz mundial. A recomendação da ONU é que nossa polícia militar seja extinta. Se as reuniões ocorressem na Rocinha, pensariam diferente. Amanhã, a Coreia do Norte vai disparar um míssil nos Estados Unidos e a guerra eclodirá numa boa, por cima de suas sanções e puritanismo. Quero ver como seu modelo de criança inocente vai parar esse míssil. Aliás, esse modelo só existe na cabeça de alguns adultos: se tem criança de cinco anos fotografando o negocinho e mostrando pros coleguinhas, então não existe essa de inocência, a menos que “inocência” seja falta de vergonha.

Então, num país em que a idade de consentimento pode ser bem baixa, o fato de ele ser meramente multado por posse de pornografia mostrando meninas de quinze anos, a qual poderia inclusive ter sido gravada e partilhada pelas próprias meninas, independente de um adulto, não parece algo de outro mundo, como querem os caras que comentaram no Kotaku. Foi uma ofensa criminal pequena. Mas só japoneses veem isso, uma vez são uma nação com padrões morais mais pragmáticos.

Mas, pra não dizer que estou fazendo propaganda favorável à legalização da pornografia infantil, eu quero dizer que há argumentos contra e a favor. E a única razão de eu ainda ser contra a legalização da pornografia infantil vem da minha própria escolha de profissão (professor).

Eu sei que um monte de guri só vai pra escola porque precisa de um diploma do ensino médio pra arrumar um emprego decente. Suponhamos que o pornô infantil fosse legalizado hoje. Amanhã, já haveria alguns arquivos em circulação legal. Aí um guri tem a brilhante ideia de vender essas fotos e vídeos. Se ele tivesse renda própria graças a isso (porque deve haver um monte de gente disposta a pagar pra ver), ao passo que ele vê a escola somente como uma etapa intermediária entre infância e emprego, será que ele não daria menos de si nos estudos? Se a prática se tornasse popular, e houvesse competição sincera entre os menores, a taxa de evasão em escolas de periferia dispararia. Quando eu falei isso pra um outro cara, ele perguntou “educação básica obrigatória não funciona no Brasil?” Não, não funciona. No bairro em que eu moro, não precisa procurar muito pra encontrar crianças e adultos analfabetos. Por quê? Porque, entre escola e emprego, ficam com o emprego. Há muitos menores que só vão pra escola porque os pais querem, sendo que esses mesmos pais não gostariam de ir pra escola apesar de serem também analfabetos. Eles já provaram a si mesmos que é possível se virar na vida sem saber ler, então pra quê aprender? Eu mesmo fui assim, antes de pegar gosto por filosofia no ensino médio. Mas hoje, num mundo em que a mão de obra capacitada tem prioridade, ou você estuda… ou desenvolve um meio de renda própria.

Então, pra terminar: tente ver as coisas com olhos de japonês. A punição “pequena” sofrida pelo criador de Samurai X tem razão de ser, pra uma nação que só criminalizou a posse de pornografia infantil recentemente. O fato de nossas leis serem mais severas não significa que elas estão corretas. Só quer dizer que são americanas. Mesmo que pornografia infantil tenha mesmo que ser crime, será que faz sentido punir adultos (e menores que produzem e distribuem esses arquivos) com cadeia ou medida sócio-educativa?

6 Comentários »

  1. […] as you kids have read, the author of Rurouni Kenshin was caught with child porn recently, but possession of child porn is punished with a fine in Japan. So, he is still free, but […]

    Curtir

    Pingback por What if Brazil followed that trend? | Analecto — 17 de março de 2018 @ 11:40

  2. […] como você já deve ter lido, o autor de Samurai X foi pego com pornô infantil esses dias, mas posse de pornô infantil é punida com multa no Japão. Então, ele continua livre, […]

    Curtir

    Pingback por E se pegasse no Brasil? | Analecto — 15 de março de 2018 @ 11:39

  3. “Talvez eu tenha sido provocador demais aí. Posso mudar o texto principal se você achar necessário.”

    Deu a parecer que você pregava contra a desmilitarização e quisesse manter o status quo. Mude só se achar necessário.

    “isso não me parece um problema da militarização e sim da conduta dos policiais.”

    Certamente muita gente procura ser PM já com ideias nada boas na cabeça, mas também o treinamento militar certamente aprofunda mentes já perturbadas e destrói outras nem tanto. Há várias denúncias do que ocorre dentro dos quartéis, e os casos são mórbidos.

    “Quanto à Coreia do Norte, ela está fazendo muitos testes, mandando muitas ameaças”

    É preciso uma certa sensibilidade para pensar a Coreia do Norte, o passado do país é triste, foi brutalmente molestado pelo EUA, natural que não tenham apreço. Mas eu não vi ameças da Coreia para o EUA antes que esse começasse a querer minar as construções de bombas da Coreia. As ameaças começaram do EUA, pelo que lembro, e depois tornaram reciprocas.

    “Eu sinto sua falta. Não me mandou mais e-mails nem nada.”

    Eu li o seu último texto, te mandarei um e-mail em breve pra comentar umas ideias sobre isso.

    Abraços! ^_^

    Curtido por 1 pessoa

    Comentário por Rique — 4 de março de 2018 @ 11:57

  4. Ah, a questão da pornografia envolvendo crianças é tão complexa ao meu ver… Já começa com o fato de termos que denominar, a priori, o que é pornografia.

    Mas o que eu queria mesmo é comentar outros pontos de teu texto:

    “A recomendação da ONU é que nossa polícia militar seja extinta. Se as reuniões ocorressem na Rocinha, pensariam diferente.”

    Por quê? Você acha mesmo a polícia militar positiva no Brasil? Não tenho apreço pela ONU, mas me parece correto desmilitarizar a polícia. E penso que se tivéssemos a oportunidade de conversar com crianças e adolescentes da Rocinha e outros lugares afetados pela brutalidade criminal e policial, confirmaríamos mais ainda a necessidade dessa desmilitarização. Estatisticamente, sabemos o número elevado de jovens, principalmente negros, que são mortos todo ano pela polícia militar.

    “Amanhã, a Coreia do Norte vai disparar um míssil nos Estados Unidos e a guerra eclodirá numa boa, por cima de suas sanções e puritanismo.”

    Ou talvez o EUA se adiante, sempre foram detentores de bombas nucleares e o único país a usa-las contra outro. Se achamos que a Coreia “procura guerra” por querer ter suas próprias bombas, por que ignoramos outros países detentores?

    Curtido por 1 pessoa

    Comentário por Rique — 3 de março de 2018 @ 14:53

    • Não disse que não é boa ideia desmilitarizar a polícia, mas disse que a ONU talvez pensasse diferente se as reuniões ocorressem na Rocinha. O que quis dizer, essencialmente, é que a ONU não participa do cotidiano das nações que a integram. Talvez eu tenha sido provocador demais aí. Posso mudar o texto principal se você achar necessário. E sim, há dados que mostram que a polícia militar mata talvez tanto quanto o crime organizado, mas isso não me parece um problema da militarização e sim da conduta dos policiais. Eu já ouvi um colega meu dizer que o irmão dele queria entrar na polícia pra bater em gente negra. Então, eu acho que é mais uma questão da índole da polícia e não de sua militarização. Mas, se você acha que é boa a desmilitarização, eu posso até apoiar isso se o contingente policial for menos corrupto.
      Quanto à Coreia do Norte, ela está fazendo muitos testes, mandando muitas ameaças e vem até perdendo aliados. É verdade que os Estados Unidos têm maior poder bélico e provavelmente mais bombas do que a Coreia do Norte, mas sua conduta não é similar. Aliás, a conduta nortecoreana é muito singular.
      Eu sinto sua falta. Não me mandou mais e-mails nem nada. E a próxima entrada talvez tenha a ver com você. Pretendo discutir um meio de fazer ativismo, pelo menos online, a fim de defender causa controversas e ganhar contingente.

      Curtido por 1 pessoa

      Comentário por Yure — 3 de março de 2018 @ 15:41


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: