Analecto

4 de maio de 2020

Audio “VGM” em um sistema GNU/Linux.

Filed under: Computadores e Internet, Jogos, Música, Passatempos — Tags: — Yure @ 14:52

Nesta semana, eu recebi um e-mail de um podcaster, me agradecendo pelo meu guia sobre como fazer o Audio Overload funcionar em Ubuntu. Eu respondi ao e-mail com outras instruções sobre alternativas nativas ao Audio Overload e percebi que isso daria um bom texto pra este site. Então, né? Vamos tentar. Neste texto, eu quero mostrar como fazer o Audio Overload, doravante “AO”, funcionar em MX Linux, o qual é baseado em Debian. Isso deve tornar o guia válido também pra outras plataformas baseadas em Debian, como o próprio Ubuntu e também LMDE. Também quero mostrar alternativas nativas ao AO.

AO é um programa que executa 33 tipos de áudio relacionados a jogos eletrônicos e computadores antigos. A lista vai do AHX do Commodore Amiga até o YM do Atari ST, passando pelo SPC do Super Nintendo, o VGM do Sega Megadrive, e formatos não tão obscuros, como MOD e S3M (embora não SID, XM ou IT). É a porta de entrada pra emulação de áudio dessas plataformas e foi o primeiro programa do gênero que eu usei, quando eu tinha uns dezesseis anos, ainda na época do Windows Vista.

O problema do AO é que ele foi feito compatível com o Open Sound System (OSS), que hoje é quase uma peça de museu pra usuários modernos de sistemas do tipo GNU/Linux. Sistemas baseados em Debian normalmente geram som utilisando Pulseaudio. Isso faz com que o AO, quando executa em um sistema Debian, não consiga encontrar o diretório /dev/dsp, o que resulta em mudez. O programa lança, parece normal, mas não é capaz de produzir nenhum som. Felizmente, o Pulseaudio tem uma ferramenta chamada padsp, que permite a execução de programas compatíveis com OSS sem a necessidade do OSS.

Então, você baixa o AO primeiro e extrai o conteúdo do ficheiro. Supondo que você tenha baixado a versão de 64 bits, a extração resultará numa pasta chamada “AudioOverloadLinux64”. Pegue essa pasta e coloque-a no seu diretório Downloads (é uma pasta que fica junto de Documentos, Música, entre outros). Abra, em seguida, um Terminal novo. Digite no terminal “padsp Downloads/AudioOverloadLinux64/ao”, sem aspas, e aperte enter. Entenda que comandos em sistemas do tipo Unix são sensíveis à caixa, então letras maiúsculas no comando devem ser mantidas. Não adianta digitar tudo em minúsculas ou maiúsculas; é preciso que cada letra no comando seja mantida na caixa em que está (com o D de “Downloads” maiúsculo, bem como o A, o O e o L). O programa deve executar, então, e deve haver som. O comando deve ser repetido em um Terminal novo sempre, mas o processo pode ser facilitado com um script se você for forte e hábil.

Caso você (1) não tenha conseguido com o método acima, (2) precise executar um formato não suportado pelo AO ou (3) não tem saco pra baixar um programa novo, há alternativas nativas. Se você está com um sistema baseado em Debian, você provavelmente tem o Gstreamer instalado. No MX Linux, você tem o VLC instalado também e o Clementine. Vai lá, experimenta. Simplesmente pegue uma música de jogo qualquer em um formato e tente executá-la no VLC ou no Clementine. É tentativa e erro, já que não há uma lista completa de mídias suportadas pelos plugins do Gstreamer. O que eu sei é que, por padrão, o VLC executa AY, GBS, GYM, HES, KSS, NSF, NSFE, SAP, SPC, VGM, VGZ, MOD, XM, S3M, IT, DBM, MED, MID e, com a instalação de sidplay, sidplay-base e sidplayfp, também executa SID. Além disso, outros formatos comuns, como MP3, OGG, WAV e FLAC também executam.

O suporte a todos esses formatos vêm dos plugins do Gstreamer, que são utilizados por outros programas também, com Rhythmbox, Banshee e o Soundconverter (de forma que seria possível converter SID ou SPC pra MP3 ou OGG, por exemplo, mas muito cuidado com isso, já que as músicas dão voltas por padrão e a conversão pode nunca terminar, tendo que ser abortada manualmente quando “já tá bom”). Então, certifique-se de que os seus plugins do Gstreamer estão instalados. Você pode instalá-los, caso já não estejam, pelo MX Gestor de Software, na aba do repositório “stable”, ou no seu gestor de programas padrão. Os pacotes que você procura são gstreamer1.0-plugins-base, gstreamer1.0-plugins-bad, gstreamer1.0-plugins-good e gstreamer1.0-plugins-ugly.

Captura de tela do Protracker. Foto de Gürkan Myczko. Fonte: Wikimedia Commons.

Uma última palavra em relação ao formato SPC é que o Gstreamer não é capaz de fazer descompressão transparente de RSN. Então, se as músicas que você tem foram baixadas do Snesmusic.org, você terá que extraí-las de dentro do RSN baixado, o que pode ser feito com o descompressor que você tem por padrão. Caso não dê certo, vá ao seu gestor de software e baixe o unrar, aí tente de novo (RSN é apenas RAR com nome chique).

Um outro método é através do Kodi. Instale o Kodi pelo seu gestor de software e abra-o. Através dele, da própria interface, procure dentre os plugins disponíveis um que se chama Modland. Instale-o e execute-o no Kodi através de sua interace e você verá uma barra de pesquisa. Digite o jogo, sistema, autor ou música que você quer e toque-a, não precisa guardá-la no HD. Esse método permite transmitir a partir do servidor Modland qualquer música nele hospedada desde que tal música possa ser convertida em OGG ou MP3 pela Modland Web Interface, hospedada no site Exotica.

O bom deste método é que ele (1) permite que você ouça música sem ter que guardá-la no HD e (2) ele é o único meio que eu conheço que te dá acesso a todos os formatos exóticos do Commodore Amiga, incluindo o fabuloso TFMX, usado em Turrican 2. O problema é que ele depende da atividade tanto do Modland quanto do Exotica. Se houver um problema em qualquer dos servidores, também o método torna-se inútil. Fora isso, ele também não lê subsongs em SID. Além disso, subsongs em formatos como SNDH e AY são tocadas no mesmo arquivo convertido. Então, você não pode avançar a música. Você é obrigado a esperar a primeira acabar pra ouvir a seguinte.

Se você estiver tentando executar um áudio com subsongs, programas que usam Gstreamer podem te deixar na mão, porque o Gstreamer é geralmente compilado sem suporte a subsongs (é quando o arquivo abre e você vê que tem várias músicas em um arquivo só). Se isso é um problema pra você, instale o Audacious, que é um reprodutor de mídia que usa seus próprios plugins, em vez do Gstreamer. Ele tem suporte a subsongs, mas lembre de instalar os pacotes do tipo sidplay discutidos anteriormente, se a emulação de SID for imprescindível. Audacious também não é capaz de descompressão transparente de RSN, então leia os parágrafos sobre o Gstreamer pra saber o que fazer. Outros programas de Linux que podem quebrar um galho são o XMP e o Deadbeef (especialmente bom pra SID).

Uma coisa interessante de mencionar é que você não precisa de um computador de mesa ou de colo pra ouvir esse tipo de música. Se você dispor de um celular com sistema Android, você pode usar o ZX Tune para o mesmo propósito. O ZX Tune também tem a vantagem do Kodi + Modland de que você tem acesso a repositórios de música e uma barra de pesquisa (a qual, a bem da verdade, não funciona muito bem). Então, as músicas não precisam estar em seu cartão de memória ou telefone, se estiverem em um dos múltiplos servidores habilitados por padrão.

Por último, é possível executar programas desenvolvidos em Windows pra esse fim, como o Foobar 2000, o XMP e a combinação Winamp + Chipamp. Pra isso, você precisa antes instalar o Wine, que é o programa que torna possível a execução de programas simples de Windows em um sistema Unix. Baixe o Wine e esqueça-o. Em seguida, baixe o instalador do programa que você quer usar e dê um duplo clique no instalador do programa que você baixou, como faria no Windows, e siga as instruções do instalador.

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: