Analecto

16 de maio de 2012

Me sinto desanimado.

Filed under: Livros — Tags:, , , — Yure @ 21:38

Do What You Know… by GrayscaleRain < Submission | Inkbunny, the Furry Art Community.

Minha apresentação sobre o Estado correu bem. Contudo, a pressão hegeliana foi prolongada, uma vez que nosso trabalho foi adiado novamente para sexta-feira. Me incumbiram de introduzir o espírito subjetivo e falar da biografia de Hegel. Normalmente, tenho padrões elevados quando escrevo apresentações, mas, desta vez, eu não me importo. Vou copiar, colar, imprimir e ler. Por mais que eu me esforce, eu não consigo entender, de forma que eu possa apresentar o trabalho sem precisar ler um texto (ler a apresentação normalmente mostra que você não se preparou, que não entende o assunto, que não se importa ou que prefere relegar a responsabilidade a um pedaço de papel, logo uma gafe imperdoável). Me exporei ao ridículo no momento em que eu ler a apresentação porque é o que mereço, sendo eu um incompetente que é incapaz de engolir, por algum motivo, um escritor sortudo que conseguiu prestígio no mundo contemporâneo por causa de Marx. Queria ver se Hegel seria o “único filósofo” se não fosse Marx. Me dói sempre que dizem que não existe filosofia antes de Hegel. Será que não veem que Hegel não é mais útil que Epicuro, mais profundo que Tomás de Aquino, mais prático que Rousseau? Hegel construiu um monólito sublime que ele chama de sistema. Essa pedra enigmática intriga estudiosos que sentem prazer em decifrar seus enigmas. Mas ponha suas conclusões para análise. Será Hegel útil, se útil, possível, se possível, desejável? Será ele o metafísico, lógico, epistemólogo, ético ou estético perfeito? É mortalmente presunçoso, ofensivo e obtuso dizer que não existe filosofia antes de Hegel, antes de sua colagem lógica.

Não que isso faça sentido ou que eu tenha autoridade para falar estas coisas. Talvez eu esteja errado quando digo a maioria dessas coisas. Mas sei que Hegel não é o Deus da filosofia. Talvez seja da lógica. Há muita filosofia antes e depois de Hegel, mas há o dobro de filósofos e comentaristas drogados que não percebem isso. Disso eu não tenho dúvida.

%d blogueiros gostam disto: