Analecto

7 de março de 2019

O que aprendi lendo “A Importância da Pesquisa na Formação e Ação Docente”.

Filed under: Notícias e política, Organizações — Tags:, , — Yurinho @ 09:01

A Importância da Pesquisa na Formação e Ação Docente” foi escrito por Andréa Bengozi. Abaixo, o que aprendi lendo esse texto.

  1. O professor deveria ser pesquisador.
  2. Este estudo acompanha dez professores para saber qual é o impacto da pesquisa em sua atividade.
  3. Mesmo que o professor seja pesquisador, nada garante que a escola fará bom uso dessa habilidade.
  4. O senso crítico começa na capacidade de questionar.
  5. Por que não usar nossas salas de aula como laboratório de pesquisa?
  6. Como usar dados coletados em sala para pesquisas científicas?
  7. No Brasil, é difícil que um professor produza conhecimento.
  8. A pesquisa bibliográfica apenas reúne dados de outros trabalhos e os apresenta.
  9. Enquanto que a pesquisa bibliográfica usa livros e artigos científicos, a pesquisa documental usa outras fontes e registros, o que inclui os que não são acadêmicos por natureza.
  10. As pesquisas práticas não são totalmente abstraídas da literatura, mas procuram principalmente extrair dados da realidade concreta para testar uma hipótese.
  11. A pesquisa prática se divide em pesquisa de campo (busca testar hipótese) e pesquisa com ação (tenta compreender e transformar o objeto, em vez de estudá-lo apenas para obter dados).
  12. É preciso ensinar a pesquisar, para que o professor não saia da faculdade apenas sabendo como interpretar um texto.
  13. A ideia do professor pesquisador data dos anos setenta: a sala é um laboratório e os alunos são sujeitos de estudo.
  14. Que a aula seja pesquisa também para os alunos.
  15. O caráter formativo da educação não é plenamente alcançado pela mera reprodução de informações já coletadas por outros.
  16. O conceito de pesquisa na prática docente é muito amplo, às vezes amplo demais, e isso dificulta sua aplicação, porque ninguém sabe exatamente o que isso significa.
  17. O consenso é: “a pesquisa é necessária à formação do professor.”
  18. Mas não há consenso sobre o quão útil de fato seria a prática de pesquisa na profissão de professor.
  19. Se a pesquisa for sobre a área da educação, será útil ao professor que pesquisa e também aos outros no campo.
  20. O aluno entra na escola já sabendo alguma coisa e ele aprende o conteúdo novo fazendo ligação entre o que ele não conhece e o que ele já conhece.
  21. O professor que aspira ser pesquisador, mas não teve formação pra isso (o que é impressionante), pode aprender essa perícia na prática junto com os alunos, os quais, presumivelmente, também não tem tal formação.
  22. Uma forma de coleta de dados é o questionário, que permite obter dados de várias pessoas sem a mediação de entrevistador.
  23. Mas coletar dados por questionário só presta se o questionário for anônimo.
  24. A pesquisa quantitativa se apoia em estatísticas, enquanto que a qualitativa se apoia em relatos e narrativas.
  25. A pesquisa é usada como instrumento didático?
  26. Dos dez professores estudados, apenas cinco participaram de projetos de pesquisa.
  27. Apesar disso, todos usam a pesquisa ao menos dentro de sala de aula, como meio de apresentar conteúdo.
  28. As dificuldades para a aplicação da pesquisa como ferramenta de trabalho vem do desinteresse e da falta de material (o que leva ao uso inadequado do material já existente).
  29. O tipo de pesquisa que os professores mais fazem é a bibliográfica.
  30. A pesquisa bibliográfica é obrigatória se quisermos pesquisar fatos passados.
  31. O aluno deve aprender a pesquisar autonomamente.
  32. Por causa da falta de material, é mais difícil empreender pesquisa na escola do que na universidade.
  33. Este estudo não tem pretensão de generalização.
  34. Uma sala barulhenta não necessariamente é preguiçosa, uma sala silenciosa não necessariamente é produtiva.

%d blogueiros gostam disto: