Leituras da semana #10.

Continuando a leitura de: Além do bem e do mal, ou prelúdio de uma filosofia do futuro (Nietzsche); Além do princípio do prazer, psicologia de grupo e outros trabalhos (Freud); Arte poética (Aristóteles); A Bíblia Sagrada (Jehovah); O anticristo (Nietzsche); Antologia ilustrada de filosofia (Ubaldo Nicola); A arte de escrever (Schopenhauer); Assim falava Zaratustra (Nietzsche);Continuar lendo “Leituras da semana #10.”

Avalie isto:

Leituras da semana #5.

Vamos continuar a leitura de Além do Bem e do Mal (Nietzsche) e Arte de Lidar com As Mulheres (Schopenhauer). Além do bem e do mal, ou prelúdio de uma filosofia do futuro. Embora Nietzsche fale mal da religião a cada duas ou três páginas deste livro, ele admite que a religião tem poder formativoContinuar lendo “Leituras da semana #5.”

Avalie isto:

Leituras da semana #4.

Nesta semana, continuo minha leitura de Além do Bem e do Mal (Nietzsche), Antricristo (Nietzsche), Arte de Escrever (Schopenhauer), Arte de Lidar com as Mulheres (Schopenhauer) e Alma (Voltaire). Também começo a leitura de Assim Falou Zaratustra (Nietzsche). Além do bem e do mal, ou prelúdio de uma filosofia do futuro. Já observou como oContinuar lendo “Leituras da semana #4.”

Avalie isto:

A moral e a natureza humana.

O texto abaixo é uma honesta aula filosófica baseada em Além do bem e do mal, ou prelúdio de uma filosofia do futuro, escrito por Nietzsche, com sugestões de como as ideias contidas em tal escrito podem ser usadas para desenvolver o país e ajudar as pessoas a se compreenderem. Coisas que a filosofia nãoContinuar lendo “A moral e a natureza humana.”

Avalie isto:

Amor, medo e respeito.

O texto abaixo é uma honesta aula filosófica baseada nos 100 aforismos sobre o amor e a morte, escrito por Friedrich Nietzsche, com sugestões de como as ideias contidas em tal escrito podem ser usadas para desenvolver o país e ajudar as pessoas a se compreenderem. Amor, cobiça e ciúme. A bem da verdade, oContinuar lendo “Amor, medo e respeito.”

Avalie isto:

Notes on “Twilight of the Idols”.

“Twilight of the Idols” was written by Friedrich Nietzsche. Below are some paraphrased (not quoted) thoughts written in that book. They may or may not reflect my opinion on any given subject. If you are going to defend a controversial cause, try to remain calm. Triumph requires petulance. Excess of power proves that you haveContinuar lendo “Notes on “Twilight of the Idols”.”

Avalie isto:

Anotações sobre “Assim Falou Zaratustra”.

“Assim Falou Zaratustra” foi escrito por Friedrich Nietzsche. Abaixo, algumas afirmações feitas nesse texto. Elas podem ou não coincidir com o que eu penso sobre este assunto. Perguntas sobre minha opinião podem ser feitas nos comentários. O amor pela humanidade pode isolar você dela, por amá-la demais. Você pode acabar ajudando outros a dificultar suaContinuar lendo “Anotações sobre “Assim Falou Zaratustra”.”

Avalie isto:

Anotações sobre “Além do bem e do mal ou prelúdio de uma filosofia do futuro”.

“Além do bem e do mal ou prelúdio de uma filosofia do futuro” foi escrito por Nietzsche. Abaixo, o que aprendi lendo esse livro. O bem e o mal. Nem tudo é “bom” ou “ruim”: há áreas cinzentas entre os valores. Antinomia de valores pode muito bem ser só um ponto de vista. Pensadores tradicionaisContinuar lendo “Anotações sobre “Além do bem e do mal ou prelúdio de uma filosofia do futuro”.”

Avalie isto:

Anotações sobre o “Crepúsculo dos Ídolos”.

Crepúsculo dos Ídolos foi escrito por Friedrich Nietzsche. Abaixo estão algumas afirmações feitas no livro. Uma afirmação pode ou não coincidir com o que eu penso sobre o assunto. Defender uma causa controversa requer que o indivíduo se mantenha sereno. O triunfo requer petulância. Força em excesso prova força suficiente. A mentira é mais comumContinuar lendo “Anotações sobre o “Crepúsculo dos Ídolos”.”

Avalie isto:

Anotações sobre o nascimento da tragédia.

A tragédia nasce do espírito da música, diz o autor. Por que os gregos tinham necessidade do gênero trágico, eles que eram tão felizes? Pessimismo não é sinal seguro de declínio. Foi Sócrates quem matou a tragédia grega. A razão descreditou a tragédia. A racionalidade pode ser sinal mais seguro de declínio do que oContinuar lendo “Anotações sobre o nascimento da tragédia.”

Avalie isto: