Foi assédio?

Quando eu estava na faculdade, aconteceu um negócio bem extraordinário comigo enquanto eu andava sozinho na escada que dá para a biblioteca. Uma menina, amiga minha, veio na direção contrária, descendo a escada enquanto eu a subia. Quando ela passou por mim, ela deu um tapa no meu traseiro. Eu continuei meu caminho, mas, quando eu cheguei ao topo da escada, eu olhei pra baixo. Ela, de baixo, olhou pra mim sorridente. Eu meio que fiz uma cara indiferente, talvez meio boba, mas admito que não foi uma experiência ruim. Afinal, foi o mais perto que cheguei de dormir com uma mulher. Triste, não é?

Então, sabendo que:

  • O ato não prejudicou meu corpo, meu psicológico ou minha imagem, mas;
  • Foi um tapa no traseiro, um ato frequentemente tido por “libidinoso” e, muitas vezes embaraçoso;

Eu pergunto: o que aconteceu foi assédio? Se sim, assédio é um conceito objetivo; se não, assédio é um conceito subjetivo. Se assédio é um conceito objetivo, é um conceito problemático: com efeito, pelo menos no meu caso, seria um crime sem vítima. Eu nunca iria denunciá-la pelo que aconteceu, porque ela era jovem e tinha um futuro pela frente. Como é que eu ia arruinar a vida dela por algo tão pequeno? Só se eu fosse um mercenário a fim do dinheiro dela. Eu só estou falando isto agora porque eu não sei onde ela mora, não lembro seu nome e não há gravações que comprovem o que ocorreu, então não daria pra começar uma investigação contra ela.

Se subjetivo, então algo ser ou não assédio depende totalmente de quem sofreu a ação, dos seus sentimentos, não da natureza do ato. Por exemplo, um cara foi denunciado por assédio sexual porque ele, ao tirar uma foto com a moça, lhe pegou pela cintura. Segundo a moça, os dois apertos na cintura causaram um dano psicológico tão profundo que foi como se sua pessoa tivesse sido apagada. Então, o cara foi denunciado por abraçar a moça pela cintura e apertar-lhe ali enquanto posava para uma foto, o que supostamente traumatizou a moça. Mas esse não é um ato tido por “libidinoso” e nem “embaraçoso”.

Se o conceito de assédio é objetivo, é preciso desenhar bem uma linha entre o que é e o que não é libidinoso, como eu sugeri que fosse feito com a lei de estupro de vulnerável, pra que a lei não puna atos inofensivos. Se o conceito é subjetivo, isto é, se é crime quando eu me sinto ofendido, precisa deixar de ser e se tornar objetivo, para evitar que uma pessoa possa processar outra por uma interpretação particular de um evento, quase como se o acusador tivesse poderes de juiz.

Publicado por Yure

Quando eu me formei, minha turma teve que fazer um juramento coletivo. Como minha religião não me permite jurar nem prometer, eu só mexi os lábios, mas resolvi viver com os objetivos do juramento em mente de qualquer forma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: