Analecto

31 de maio de 2012

Uma vida para quem me achar naquela imagem.

Filed under: Passatempos, Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 22:44

Melancolia – Wikipédia, a enciclopédia livre.

Shiba: :323:15:32

Shiba: hai23:15:37

Yure: Hi…23:16:06

Shiba: how ish23:16:16

Yure: Terrible.23:16:23

Shiba: whys that?23:16:34

Yure: I feel stupid.23:16:49

Yure: Unable to understand simple things.23:16:59

Shiba: what do you mean23:17:14

Yure: Helping a friend with his game, as you know. But today I wasn’t motivated… As we worked, I started to commit embarrassing mistakes. He played along, trying to not make big deal about it. But I was making a fool of myself.23:18:11

Shiba: *nodS* everyone has days like that23:18:35

Yure: He asked if I needed a tool for the task I was doing, to make it automated. I felt even worse.23:19:12

Yure: But we gave a pause once I told him that.

Anúncios

28 de maio de 2012

Semestre quase no fim.

Ladytron – Beauty – YouTube.

De agora em diante, para proteger as identidades dos meus colegas, os chamarei pelas suas espécies.

Então, maior parte do meu semestre se foi como se fossem apenas três meses. Foi rápido, cheio de altos, baixos e linhas perfeitamente retas de amigável e confortável tédio.

Em história da filosofia, tenho certeza de que fui aprovado. Estudar Kant não é difícil pessoal, isso é certeza. Amo estudar os textos do senhor Kant; eles me são claros e explícitos e, mesmo que eu não tenha lido tudo o que ele escreveu, tenho uma ideia geral de suas ideias e sei o bastante para dizer que gosto mais de sua ética e sua estética, com as quais concordo quase que 100%. Estudar Fichte e Hegel, contudo, foi uma verdadeira dor e eu teria quebrado sozinho, mas eu tive apoio. Que bom que não tive que estudar aquele sacal do Schelling também.

Em filosofia social e política, fui aprovado com certeza; a condição de aprovação é apresentar o texto do Lênin, o Estado e a Revolução, mesmo que fosse uma apresentação pobre. A minha, de fato, foi, em comparação à dos meus amigos que são craques em política. Eu não sou bom com o Estado ou as regras do capitalismo, embora eu acredite que entendi o socialismo e o comunismo agora. Corrigindo uma entrada anterior em que eu diferenciei erroneamente socialismo e comunismo: socialismo é a ditadura do proletariado, caracterizado pelo fim do dinheiro, da mercadoria, da burguesia (e, consequentemente, da luta de classes) e do Estado, sendo um estado transitório entre capitalismo e comunismo, este último caracterizado também pelo fim da divisão social do trabalho.

Estrutura e funcionamento do ensino fundamental e médio ainda está de pé; tenho um último trabalho a fazer.

Mesma coisa com didática geral, mas tenho, além do trabalho, de fazer uma autoavaliação. Com minha autoestima “lá em cima”, talvez eu me dê um zero.

25 de maio de 2012

Acabou.

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 14:43

Pureza.mp4 – YouTube.

Pelo menos por este semestre, estou livre do senhor Hegel. A apresentação correu bem e professora, ciente das minhas dificuldades, até me parabenizou por ter entendido a essência do conteúdo, embora tenha deixado os detalhes de fora do meu texto. Pude apresentar o espírito subjetivo sem ter de ler o texto, embora tenha recorrido a ele para apresentar a história do facínora, pois não sou bom com datas e locais. Consegui sintetizar a história dele em umas quatro linhas, então sem problemas.

Não teria conseguido sem apoio moral dos meus amigos aqui, da Internet. Eu realmente queria desistir, mas Childish me mandou o material e Roger me deu uns toques. Não que eu tenha entendido tudo ou tenha milagrosamente virado craque em Hegel com a força da amizade. Mas foi o bastante para que eu pudesse me safar e evitar passar muita vergonha na frente da turma (em português, não em espanhol). Obrigado, vocês dois!

Bom, acho que estou com nota sete. Isso significa que, se eu estiver certo, estou aprovado. Com isso são filosofia social e política e história da filosofia. Falta estrutura e funcionamento do ensino fundamental e médio e didática geral.

16 de maio de 2012

Me sinto desanimado.

Filed under: Livros — Tags:, , , — Yure @ 21:38

Do What You Know… by GrayscaleRain < Submission | Inkbunny, the Furry Art Community.

Minha apresentação sobre o Estado correu bem. Contudo, a pressão hegeliana foi prolongada, uma vez que nosso trabalho foi adiado novamente para sexta-feira. Me incumbiram de introduzir o espírito subjetivo e falar da biografia de Hegel. Normalmente, tenho padrões elevados quando escrevo apresentações, mas, desta vez, eu não me importo. Vou copiar, colar, imprimir e ler. Por mais que eu me esforce, eu não consigo entender, de forma que eu possa apresentar o trabalho sem precisar ler um texto (ler a apresentação normalmente mostra que você não se preparou, que não entende o assunto, que não se importa ou que prefere relegar a responsabilidade a um pedaço de papel, logo uma gafe imperdoável). Me exporei ao ridículo no momento em que eu ler a apresentação porque é o que mereço, sendo eu um incompetente que é incapaz de engolir, por algum motivo, um escritor sortudo que conseguiu prestígio no mundo contemporâneo por causa de Marx. Queria ver se Hegel seria o “único filósofo” se não fosse Marx. Me dói sempre que dizem que não existe filosofia antes de Hegel. Será que não veem que Hegel não é mais útil que Epicuro, mais profundo que Tomás de Aquino, mais prático que Rousseau? Hegel construiu um monólito sublime que ele chama de sistema. Essa pedra enigmática intriga estudiosos que sentem prazer em decifrar seus enigmas. Mas ponha suas conclusões para análise. Será Hegel útil, se útil, possível, se possível, desejável? Será ele o metafísico, lógico, epistemólogo, ético ou estético perfeito? É mortalmente presunçoso, ofensivo e obtuso dizer que não existe filosofia antes de Hegel, antes de sua colagem lógica.

Não que isso faça sentido ou que eu tenha autoridade para falar estas coisas. Talvez eu esteja errado quando digo a maioria dessas coisas. Mas sei que Hegel não é o Deus da filosofia. Talvez seja da lógica. Há muita filosofia antes e depois de Hegel, mas há o dobro de filósofos e comentaristas drogados que não percebem isso. Disso eu não tenho dúvida.

14 de maio de 2012

Como foi minha apresentação.

Ladytron – Ghosts [Official Music Video] – YouTube.

“Apresentação” porque, como sabem, só pude fazer uma. Aliás, não pude fazer nem mesmo a segunda. Em apresentações de equipe, cada integrante tem sua vez de falar. O texto do primeiro integrante tomou todo o tempo da nossa apresentação, logo, não pude falar meu próprio texto, que, por sinal, é curtinho.

A apresentação sobre Hegel não aconteceu; nenhum dos integrantes da minha equipe compareceu e todos estavam agindo como se a apresentação não fosse realmente acontecer ou não estivesse marcada, ou seja, tivemos aula normal e a equipe não foi chamada. Me pergunto se o dia foi mudado. Se tivesse, não teria como eu ficar sabendo mesmo…

Minha professora de didática geral pegou dengue, mas isso não nos isenta de apresentar nossos trabalhos. Tivemos de elaborar uma prova e mandá-la para a professora, para que ela, mesmo em sua doença, pudesse trabalhar e nos avaliar. Isso é que é paixão, corrigir prova com dengue.

13 de maio de 2012

Sonho perturbador.

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 15:59

LMMS Sharing Platform.

Primeiro, minhas perícias de automação de tempo me renderam os parabéns de Captaincough, provavelmente o melhor compositor de drum ‘n’ bass da LSP.

Agora, algo mais sério. Tive um sonho que me deixou bastante pensativo hoje. Depois que o mundo havia enfrentado a maior de todas as guerras, tudo havia ficado devastado. Não podíamos ficar tranquilos, contudo. Apesar da guerra ter terminado, uma esfera metálica iria cair na superfície terrestre, carregando em si uma névoa tóxica capaz de matar com o simples toque. Nada podíamos fazer, além de aceitar a morte. Acho que já tive esse sonho antes, ontem, quando tive um ataque de pânico, chegarei lá.

Eu vi a esfera passando por cima de mim, da minha família e dos meus amigos que, apesar de estarmos prontos para morrer (eu achei que estava, mas depois corri como um condenado), mantínhamos uma posição otimista. Quando a esfera caiu, uma explosão aconteceu. Em seguida, a névoa começou a espalhar-se numa velocidade de 500cm/s, a saber, meio metro por segundo. Começamos a correr. O que mais me perturba nesse sonho, foi o fato de uma das pessoas que estava comigo correu para sua casa e se trancou no quarto. A imagem não sai da minha mente. Por quê? Por que se trancar no quarto? Será que ele preferiu morrer num lugar familiar, construído por ele, um lugar que comumente consideramos nosso santuário, um lugar seguro? Ou será que ele quis deitar-se na cama e fechar os olhos, fingindo não saber o que estava para acontecer, se acalmar e morrer tranquilamente?

Eu corri o mais rápido que pude e até tentei colocar uma amiga entre a névoa e eu, de forma que ela morresse antes e eu ganhasse tempo, mas a egoísta não parava de correr também e eu não pude usá-la como escudo. Entrei numa casa e fui expulso por quem estava dentro. Subi num carro e me agarrei ao teto deste ao passo que o condutor acelerou. Mas aí ele freou e eu caí. Rapidamente me levantei e continuei correndo, até que eu, de alguma forma, percebi que estava sonhando e me forcei a acordar.

Fiquei encolhido na cama pensando naquele cara que se trancou. Por que ele não correu também? A ideia de aceitar a morte sempre me pareceu plausível, mas, com aquele sonho, me senti perturbado pela possibilidade de, deliberadamente, ficar parado e esperar.

Isso me lembra de outro sonho. Eu, minha família e alguns amigos que nunca vi na vida estávamos no Polo Norte. Havia uma enorme torre que lembrava as torres da Catedral de São Basílio. Era frio, mas estávamos todos agasalhados.

Começamos a subir a torre. Todos os outros habitantes do mundo haviam morrido afogados. Conforme subíamos, alguns dos meus amigos davam pausas para brincar na neve que se acumulava na escada. Eles se sentiam seguros, sentiam-se salvos. O solo ficava cada vez mais distante e olhar para baixo não mais era uma opção, porque a escada se estreitava e vertigens poderiam nos derrubar.

Quando chegamos ao topo, vimos um hotel. O céu estava muito escuro e, se eu olhasse para baixo, poderia ver a curva do globo brilhando com uma aura azul. Não que eu ousasse olhar, mas sabia que estávamos no limite, ou talvez além, da atmosfera terráquea. Foi quando aconteceu.

Uma onda enorme abateu-se contra a torre. A água conseguiu saturar a plataforma no topo, onde estava o hotel e eu fui tragado. Notei alguém andando na minha direção, mas ele andava sobre a água. Jesus. E ele tinha uma coisa em mente. Com seu poder, ele começou a usar as águas para me jogar de um lado para outro, tentando me matar afogado. Enquanto ele fazia, ele recitava meus pecados e induzia memórias em mim, de forma que eu lembrasse de cada acontecimento que ele mencionava. Embora na borda do que parecia ser um redemoinho de quilômetros de profundidade, eu juntava forças para argumentar com Jesus. Eventualmente, consegui convencê-lo a parar. Não sei o que aconteceu depois. Milagrosamente, minha cama estava seca.

Sobre meu ataque de pânico ontem, tive náusea e vocês sabem o que isso faz comigo. Perdi a razão totalmente e tomei três doses de sal, mais uma pílula de Dramin B6. Pedi para minha mãe que não me levasse ao dentista durante a manhã daquele dia; já pensou ir ao dentista com vontade de vomitar?

10 de maio de 2012

Mesmo com a ajuda do Childish.

Filed under: Organizações — Tags:, , , — Yure @ 19:16

Ladytron – Ghosts [Official Music Video] – YouTube.

Childish me ajudou a conseguir a Enciclopédia das Ciências Filosóficas, mas receio que, mesmo assim, eu não seja capaz de me preparar e entregar o trabalho a tempo. Como dito, estou em equipe e não tenho como contactar os outros membros, logo não sei se os temas já foram divididos e qual parte do livro devo apresentar. Mesmo que eu soubesse, eu teria apenas três dias para elaborar o texto, após ter lido e entendido.

Ainda assim, manterei a Enciclopédia comigo para futuras consultas; não quero ter que sofrer por causa deste livro novamente.

Só tenho uma solução, na verdade bem simples: ignorar e deixar acontecer. Eu não posso ter tirado uma nota menor que três na prova, logo, mesmo que eu falhe, terei direito a prova da recuperação, que está a meses de distância, tempo o bastante para me preparar. O cai nessa prova? Kant, Fichte e Hegel. Kant é fácil, Fichte é um porre entendível, mas, como tenho dificuldade em Hegel, posso me preparar desde agora para a recuperação e conseguir me safar. Observe que este é um plano que se apoia na esperança de que minha média não fique menor que três quando eu me recusar a apresentar meu trabalho. Se a situação ficar muito ruim, dançarei na neve.

Mas foi com sorte que passei no vestibular.

8 de maio de 2012

Eu vou falhar.

Ladytron – White Elephant – YouTube.

Deus do céu. Eu tenho certeza de que vou falhar na apresentação de Hegel; o material necessário não está disponível online (bom, está, mas em alemão) e os livros da biblioteca que falam do assunto estão todos emprestados. Não tenho como estudar, logo não estarei pronto. Além disso, o resto da minha equipe faltou ontem e não sei se eles têm ou não o material e, se têm, não me passaram. Me pergunto se eles têm algo contra mim, o que não é de todo impossível. Quero dizer, minha reputação não é lá muito boa e, além da dona mocinha e um coroa que nem sei o nome, não tenho amigos. Sou muito estranho, mas não é como se eu pudesse mudar do dia para noite só para agradar os outros, além de que não me interessa mudar simplesmente para caber num grupo. Acredito que mudar de comportamento simplesmente para ser aceito necessariamente leva você a ser aceito pelo grupo errado. Além do mais, não é um caso de extrema necessidade do qual minha vida dependa. Talvez eu encontre algo na Antologia que possa me ajudar, mas ela só contém três textos hegelianos. Espero que um deles seja o que procuro. É um que fala de antropologia, psicologia e filologia, encontrado na Enciclopédia das Ciências Filosóficas. Se alguém tiver ou conhecer o assunto, me dê uma luz antes de segunda-feira.

4 de maio de 2012

Fiz duas visitas ao Colégio.

.M. Colégio – ON-LINE E.E.F.

Certo, a escola está quinze por cento pior comparado a cinco anos atrás. Umas quatro salas de aula foram convertidas em laboratórios, de forma que há apenas nove salas de aula agora, uma academia, dois laboratórios. O campo de futebol e a horta viraram selvas ao passo que o terreno baldio atrás da escola continua sem uso. Os banheiros que eram integrados à estrutura foram transformados em uma sala de aula. Onde ficam os banheiros agora? Na garagem improvisada (banheiros químicos).

Na verdade, a escola tem ficado pior desde o dia em que o Diretor Lendário deixou a diretoria à cargo da esposa dele. Ela tenta melhorar as coisas, mas, no final das contas, ela continua ruim de administração.

Ao menos, a taxa de repetência está baixa: quatro por cento (a de evasão está em dezessete por cento). Há carência de professores, embora este pareça ser um problema em processo de solução, de acordo com alguns alunos. Há trinta e um professores para uns novecentos alunos.

Hoje fiz umas entrevistas durante o turno da tarde e farei mais algumas na segunda feira antes de criar o documento definitivo, que será publicado aqui.

Ah, sim, contei que eu tive um sonho erótico subvertido na semana passada?

My class and I entered the room, but the teacher didn’t arrive. We started playing, you know, throwing paper, speaking loud and stuff expected from 8-year-olds, even if I was the youngest and was 19. Then, the substitute teacher came: an old tall woman, using botox, silicone on the breasts and butt, stilleto, black short dress and a top hat. She noticed I was uncomfortable… and started to seduce me. […] I won’t go in detail. But I rejected, freaked out and ran away yelling “big no!” In the process, I became my fursona, running away on all fours. She pursuited me. […] I eventually ended in the same room, Macgyver clinging to me to protect me from her. […] But, when she was back, Mac was gone. I was cornered, scared and… and the dream is over.

2 de maio de 2012

Dentista.

Filed under: Saúde e bem-estar — Tags:, , , — Yure @ 11:06

R.R. Lyrae Dentist and Panda Loaf by Spix — Fur Affinity [dot] net.

Tenho um dente problemático; foi tratado três vezes e uma quarta vez virá dentro de trinta dias. Começou com uma simples cárie. Daí, fui ao dentista da rede pública que operou seis milímetros de buraco à sangue frio. Foi a pior dor que já senti em toda a minha vida e cheguei a pensar que Deus não existe. A dor foi lancinante e permaneceu por dois dias. Todas as vezes que um líquido encostava na minha resina, eu sentia uma dor progressiva que culminava com um estalo no meu dente. Deus, como aquilo doía. No segundo dia, a resina caiu.

Fui tratar o mesmo dente uma segunda vez, na rede privada, e fui corretamente anestesiado. Tudo bem até alguns dias após eu me mudar para a Fronteira; minha resina caiu e o buraco estava aberto novamente.

Hoje fui ao dentista para que ele fechasse o buraco novamente, mas parece que a cárie cresceu no meio tempo e preciso tratá-lo novamente em trinta dias.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: